< Insights

Ambidestria organizacional: o que é e qual a relação com a eficiência e a eficácia?

  • Inovação e Gestão

Se você tem o hábito de pesquisar sobre gestão, tecnologia e inovação, pode ter se deparado com o termo “ambidestria organizacional”. Você já parou para pensar sobre seu significado? O conceito pode transformar o gerenciamento de projetos da sua empresa, de forma que as equipes entreguem o que é de maior valor no menor tempo possível.

Vamos contar um pouco sobre o assunto ao longo do post, em que você vai ver do que se trata o conceito, como se relaciona com as ideias de eficiência e eficácia, e quais são os pontos que você precisa ficar de olho.

O que é ambidestria organizacional?

Quando você ouve o termo ambidestria, o que surge a sua mente? A resposta para a maioria das pessoas é a capacidade de usar as duas mãos ou os dois pés com a mesma habilidade, certo?

A ideia de ambidestria organizacional funciona de forma similar e diz respeito às técnicas para usar dois lados da sua empresa — representados pela eficiência e eficácia, investindo em um “equilíbrio dinâmico” e usando as mentalidades específicas de cada lado.

Se o uso original do termo “ambidestria” remete às habilidades de coordenação motora, a ambidestria organizacional diz respeito à coordenação da equipe, transformando a forma que as empresas lidam com desafios e executam tarefas.

O que é eficiência?

Eficiência é um termo muito comum no mundo corporativo e não por acaso. Qual gestor não quer alcançar resultados eficientes? O termo tem um significado bem simples e se concentra na ideia de fazer as coisas do jeito certo.

O que isso significa? Na prática, que operações eficientes são baseadas em atividades estruturadas, com foco em controle, conformidade, gerenciamento e produtividade. Geralmente, a equipe sabe exatamente o que deve fazer e segue instruções de forma prescritiva.

Uma linha de produção de carros é um bom exemplo de trabalho pautado na eficiência. Nesse caso, os profissionais conhecem todas as fases, o processo de resolução de problemas é mais simples e a tarefa é mais repetitiva. Os conceitos de escalabilidade e volume costumam aparecer aqui.

O que é eficácia?

Você já deve ter percebido que a maior parte das pessoas usa eficiência e eficácia como sinônimos, não é? No entanto, quando falamos de ambidestria organizacional, é importante distinguir o que esses dois termos significam.

Lembra de quando contamos que a eficiência é sobre fazer do jeito certo? Então, essa definição vem do pai da administração Peter Drucker, que olha para os dois termos de forma distinta. Para ele, eficiência é fazer do jeito certo e eficácia é fazer a coisa certa.

Na prática, como trabalhar com eficácia? A resposta é simples. Operações eficazes são baseadas na capacidade de lidar com explorações, descobertas e entendimentos, funcionando de forma completamente diferente da eficiência. Médicos, advogados, e desenvolvedores de software, por exemplo, pautam seus trabalhos dessa forma.

Por que eficiência e eficácia são complementares?

Quando pensamos sobre as duas ideias, a eficiência tende a ser associada aos trabalhos industriais, mais mecânicos e pragmáticos. Já a eficácia é mais relacionada com processos intelectuais e criativos. Apesar de diferentes no conceito, ainda assim, as duas se complementam. O que isso significa?

Imagine a dinâmica que um restaurante. O chefe de cozinha precisa trabalhar com tarefas criativas e empíricas, certo? Isso significa que vai precisar criar pratos, testar receitas, experimentar sabores e por aí vai. Esse é um processo que exige eficácia.

O cozinheiro, por sua vez, vai precisar reproduzir o prato criado pelo chefe de cozinha várias vezes ao dia com o mínimo de defeito possível, evocando ideias de produtividade, volume e padronização. Essa é uma atividade que demanda eficiência.

Como aplicar ambidestria organizacional na sua empresa?

Se na eficiência o caminho já é conhecido, na eficácia ele ainda vai ser descoberto. Por isso, tentar resolver tarefas de eficiência com as técnicas de eficácia pode representar problemas. O ideal é prestar atenção no que a tarefa exige e explorar a mentalidade certa, como você vai ver em exemplos abaixo.

KPIs

Eficiência é sobre fazer mais com menos. Para isso, é preciso lidar com monitoramento, controle, repetição e por aí vai. Os KPIs surgem como ferramentas centrais para alcançar esse resultado.

A sigla significa “indicador-chave de performance” e diz respeito às métricas mais importantes, representadas por números ou percentuais. Suas possibilidades são várias e incluem receita, retorno sobre investimento, taxa de conversão, número de leads e por aí vai.

Processo criativo

Diferentemente dos processos eficientes e prescritivos, o criativo considera outras prioridades. O chefe de cozinha, por exemplo, cria o prato no tempo que for necessário, dispensando preocupações rígidas com produtividade.

Se a eficiência considera a repetição, o processo criativo valoriza a variabilidade. Um designer não pode criar o mesmo logotipo várias vezes, não é? Aqui, processos de brainstorming e experimentação de hipóteses são importantíssimos.

Kaizen

Lembra de quando citamos que a eficácia era um processo empírico? Então, estipular e testar hipóteses faz parte disso. No exemplo da criação de receitas, é preciso saber se os temperos e ingredientes produzem o resultado desejado.

Esse processo de formular e testar hipóteses, com foco em melhoria contínua, pode ser simbolizado pela metodologia japonesa Kaizen. A palavra é composta dos ideogramas para “mudança” e “virtude”.

Produtividade

Quando pensamos em produzir muito no menor espaço de tempo possível, “produtividade” é a palavra que cruza a mente de boa parte dos gestores. O conceito só é possível em processos muito eficientes, nos quais os profissionais lidam com conhecimento já existente e um processo de decisão prescritivo, com base nas instruções elaboradas na fase de eficácia.

Harmonizar eficiência e eficácia e garantir a ambidestria organizacional é importantíssimo para descobrir quais são os caminhos que mais agregam maior valor e ainda explorá-los das formas mais rápidas e produtivas possíveis.

Lembre-se de que os conceitos são complementares e os dois lados da empresa contam com a mesma importância e precisam ser valorizados. Afinal, não adianta fazer do jeito errado a coisa certa ou do jeito certo a coisa errada.

O que acha de começar a desenvolver a ambidestria organizacional em parceria com uma empresa especializada em metodologia ágil e capaz de encontrar caminhos inovadores em projetos complexos? Então, não deixe de entrar em contato com a gente!

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.