< Insights

O que é o Continuous Deployment e como funciona?

  • DevOps
  • Artigo

Você conhece a ferramenta Continuous Deployment, também conhecida como implantação contínua? Essa ferramenta para o desenvolvimento de softwares pode aumentar ainda mais a sua produtividade.

O Continuous Deployment tem como objetivo melhorar e agilizar o ciclo de implantação de um software, ela que é umas das inúmeras ferramentas de DevOps pode ser a chave para que sua empresa consiga resultados mais satisfatórios com o passar do tempo. 

O que é Continuous Deployment (CD)?

Você sabe o que o Continuous Deployment – também chamado de CD – significa? Como o próprio nome sugere, Continuous Deployment pode ser considerado como uma abordagem que é uma forma de extensão contínua, tendo o objetivo de minimizar o lead time dentro de uma produção, ou seja, o tempo entre o desenvolvimento de uma nova linha de código e uso desse código por usuários.

Esse tipo de abordagem – que pode ser considerada nova, já que começou a ser implementada a partir do ano de 2009 e conta com uma crescente popularização – já  atraiu um grande número de adeptos ao redor do mundo e virou uma grande tendência no Brasil.

Antes de partir para a explicação sobre o Continuous Deployment, é necessário saber que ele não é a mesma coisa que o Continuous Delivery – também chamado de entrega contínua. E, embora também pareça, ele é diferente do termo Continuous Deployment.

Em contraste com os termos anteriores, o Continuous Deployment não precisa de uma área de teste para ser revisada manualmente, já que os testes que são automatizados e integrados no começo de todo o processo de desenvolvimento, seguindo todas as fases do release.

Por esse motivo, não existe nenhum intervalo de tempo entre o momento em que uma mudança de código passa pela aplicação e o teste de nível de uma plataforma quando ela se move em produção.

Continuous Deployment ou Continuous Delivery: Entenda a diferença entre os dois

É comum que haja uma confusão entre esses dois conceitos, já que são muito recentes e ainda estão sendo formulados. Muitas vezes, o Continuous Deployment é usado como um um sinônimo do Continuous Delivery, mesmo que fontes renomadas, como a Amazon Web Services, digam que são dois termos diferentes.

O intuito dos dois termos é o mesmo: sempre entregar as atualizações e features para o usuário final. Porém, a diferença é que durante o Continuous Deployment, todo o pipeline é automatizado, enquanto o Continuous Delivery conta com uma precisão de lançamento manual e aprovado do software.

Como funciona o Continuous Deployment?

A implantação contínua é um processamento de software que usa testes automatizados para conseguir validar as mudanças do código base, checar se elas estão corretas e estáveis.

Esse ciclo de lançamento de software vem evoluindo com o passar do tempo e o processo de mudança e checagem de código é conhecido como um processo demorado e pesado, mas essas novas ferramentas podem deixar tudo mais otimizado.

10 benefícios do Continuous Deployment

O Continuous Deployment conta com diversos benefícios. Em resumo, o que pode resumir as vantagens dele é: A implantação contínua remove todo o passo de deploy manual do pipeline de deploy, o que resulta em diversos deploys por dia. Mas, isso não é tudo! O Continuous Deployment:

  1. Aumenta o foco sobre o produto;
  2. Faz implantações sem comprometer a segurança;
  3. Automatiza tarefas repetitivas;
  4. Faz escalas de um único app para um ter um portfólio de TI com muito mais informações;
  5. Se conecta com ferramentas e tecnologias já existentes, para garantir a existência de um fluxo de trabalho muito mais harmonioso;
  6. Integra as equipes e processos por meio de um pipeline unificado;
  7. Cria fluxos de trabalho em todos os ambientes de desenvolvimento, teste e também produção;
  8. Envia as aplicações nativas e tradicionais por meio de um pipeline totalmente unificado;
  9. Fornece uma visualização em todos os aplicativos e ambientes;
  10. Melhora a produtividade da empresa de modo geral.

Então, de uma forma simplificada, a definição que melhor descreve o que o Continuous Deployment faz é: implementar de forma consistente o código que se encontra na produção, à medida que todos os recursos forem concluídos, logo que tiver cumprido todos os critérios de liberação para esses recursos.

Esse critério de liberação é dependente apenas da situação, podendo acelerar toda a execução de alguns testes já automatizados, revisões de códigos, testes de cargas, verificação manual por alguém de controle de qualidade ou apenas outro par de olhos observando o recurso para se certificar de que ele não tenha nenhum erro.

É necessário ter em mente que todos os critérios específicos podem variar de uma empresa para outra, porém a ideia chave é contar com um fluxo contínuo empurrando as mudanças para a produção, sempre levando o código para frente e mantendo o pipeline o mais curto possível.

As melhores práticas do Continuous Deployment

Como vimos no começo do texto, o Continuous Deployment tem o objetivo de minimizar o lead time dentro de uma produção, ou seja, o tempo entre o desenvolvimento de uma nova linha de código e uso desse código por usuários. Sendo assim, esse processo é, antes de tudo, uma maneira de pensar.

Portanto, veja a seguir algumas das melhores práticas de Continuous Deployment:

Desenvolver um mindset

Em um ambiente de CD, as compilações de aplicativos estão sempre prontas para implantação, o que significa que as equipes de DevOps devem:

  • Configurar testes automatizados para a compilação (com a cobertura de código necessária para estar pronta para implantação);
  • Usar a mesma compilação do aplicativo em todo o pipeline (ou seja, apenas construa os binários do aplicativo uma vez, não em todos os ambientes!);
  • Corrigir problemas no código, não no local;
  • Abandonar uma build que tenha problemas e não seja considerada digna.

Implementar e refinar o Continuous Integration

Você pode praticar a integração contínua sem entrega contínua, mas não pode praticar a entrega contínua sem integração contínua. Isto é, a integração contínua (CI) envolve a fusão do código do software em um processo de compilação automatizado e a execução de testes automatizados quando o código atualizado é adicionado ao repositório de código-fonte.

Uma vez que a CI está em vigor, a entrega contínua (CD) simplesmente estende o processo de integração para a versão real. Quando seu pipeline de CD funciona como deveria, os produtos de software não estão vinculados a cronogramas ou dependências de desenvolvimento; em vez disso, eles são entregues com base na demanda do consumidor e no estado do mercado.

Implantar em todos os ambientes da mesma maneira

O conceito central por trás da entrega contínua é que todo o pacote de lançamento – desde a compilação do aplicativo até os scripts que compilam e configuram o ambiente em que é executado – é sólido e pronto para produção. A produção deve ser simplesmente outro ambiente para executar a mesma automação pelas mesmas etapas.

Não importa o ambiente em que você está implantando, use o mesmo mecanismo de lançamento automatizado. Isso ajuda a solucionar problemas do próprio processo de implantação e resulta em menos problemas de implantação em ambientes inferiores (integração, controle de qualidade) e ambientes superiores (pré-produção e produção).

Esperamos que agora você saiba um pouco mais sobre Continuous Deployment. Se você se interessa por temas de desenvolvimento e agilidade, se inscreva na nossa Newsletter e receba um conteúdo mensal exclusivo para expandir seu conhecimento!

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.