< Insights

Segurança em nuvem: conheça as melhores estratégias e práticas para sua empresa

  • Transformação Digital
  • Artigo

A segurança em nuvem é um tópico essencial que tem revolucionado a forma como empresas e indivíduos gerenciam e armazenam seus dados e aplicativos na nuvem. A ascensão da tecnologia da nuvem é uma tendência incontestável no mundo da TI, com uma adoção constante e crescente em todos os setores. De acordo com a pesquisa da Gartner, em 2021, os gastos globais com serviços de nuvem pública atingiram impressionantes US$ 332,3 bilhões, representando um aumento de 23,1% em relação ao ano anterior.

A migração para a nuvem oferece uma série de benefícios, desde a escalabilidade e flexibilidade até a redução de custos operacionais. No entanto, à medida que as organizações e indivíduos se voltam para a nuvem, a segurança dos dados e dos sistemas se torna uma preocupação crítica. Afinal, a confiabilidade da nuvem depende de medidas de segurança robustas para proteger informações confidenciais e manter operações sem interrupções.

Neste texto, exploraremos a segurança em nuvem, examinando o que é, seus benefícios, dicas e boas práticas para garantir a integridade dos dados, casos de sucesso de empresas que implementaram com sucesso soluções de segurança em nuvem e os desafios que continuam a ser enfrentados nesse ambiente tecnológico em constante evolução, além de quais recursos a Netflix utiliza para ser referência de segurança em nuvem. 

O que é segurança em nuvem?

A segurança em nuvem, ou segurança em cloud computing, é a abordagem estratégica e tecnológica de proteger os dados, sistemas e recursos em um ambiente de computação em nuvem. À medida que as organizações migram para a nuvem em busca de eficiência, escalabilidade e flexibilidade, a segurança se torna um pilar fundamental para sustentar a inovação e o crescimento sustentável.

Imagine a nuvem como um ecossistema virtual onde informações, aplicativos e serviços são armazenados e acessados pela internet. A segurança em nuvem concentra-se em proteger esse ecossistema contra ameaças, garantindo que os ativos digitais da sua organização permaneçam seguras e acessíveis apenas para as partes autorizadas.

Isso envolve a implementação de medidas de segurança tecnológicas, como criptografia, autenticação multifator, firewalls e sistemas de detecção de intrusões, juntamente com políticas e práticas rigorosas de governança. A proteção de dados confidenciais, a prevenção de vazamentos de informações e a manutenção da continuidade dos negócios são metas essenciais da segurança em nuvem.

Além disso, a segurança em nuvem é uma disciplina dinâmica que se adapta constantemente às novas ameaças e desafios. À medida que a tecnologia evolui, as estratégias de segurança também evoluem, incorporando inteligência artificial e aprendizado de máquina para detectar e mitigar ameaças em tempo real.

Portanto, a segurança em nuvem não é apenas uma camada de proteção; é um alicerce sólido que permite às empresas inovar com confiança, aproveitando todo o potencial da computação em nuvem. Ela é essencial para capacitar a transformação digital, garantindo que sua empresa permaneça segura e competitiva em um mundo cada vez mais conectado.

Benefícios da segurança em nuvem

A segurança em nuvem é um pilar crítico para o sucesso e a sustentabilidade das empresas, proporcionando uma série de benefícios significativos que impactam as operações e o futuro de maneira positiva. Listamos alguns deles:

Proteção dos ativos digitais

A segurança em nuvem é o escudo que protege nossos ativos digitais, desde dados confidenciais até aplicativos essenciais. Isso impede que ameaças cibernéticas, como ataques de hackers e malwares, comprometam nossos sistemas, garantindo a integridade e confidencialidade dos dados.

Disponibilidade contínua

Ao adotar medidas de segurança robustas na nuvem, garantimos a disponibilidade contínua de nossos sistemas e serviços. Isso significa que nossos clientes, parceiros e funcionários podem contar com a disponibilidade ininterrupta de aplicativos e recursos críticos, melhorando a experiência do usuário.

Redução de riscos financeiros

Investir em segurança em nuvem pode, em última análise, reduzir os riscos financeiros associados a violações de dados e interrupções nos negócios. Prevenir incidentes de segurança pode economizar recursos significativos que de outra forma seriam gastos em recuperação e reparos.

Escalabilidade e flexibilidade

A segurança em nuvem pode ser dimensionada para atender às necessidades específicas da empresa. À medida que crescemos e evoluímos, podemos facilmente ajustar nossas soluções de segurança para acompanhar as mudanças em nossa infraestrutura e no cenário de ameaças.

Conformidade regulatória

Muitos setores estão sujeitos a regulamentações rígidas que exigem a proteção de dados sensíveis. A segurança em nuvem nos ajuda a cumprir esses requisitos, garantindo que estejamos em conformidade com as regulamentações relevantes e evitando penalidades legais.

Apoio à inovação

Ao garantir que nossos ativos digitais estejam seguros, podemos focar em impulsionar a inovação e a transformação digital com confiança. Isso nos permite explorar novas oportunidades de negócios, adotar tecnologias emergentes e manter uma vantagem competitiva.

Recuperação de desastres simplificada

A segurança em nuvem facilita a implementação de planos de recuperação de desastres eficazes. Em caso de falhas ou desastres, nossos sistemas podem ser restaurados rapidamente, minimizando o tempo de inatividade e prejuízo.

Acesso remoto seguro

Em um mundo onde o trabalho remoto se tornou uma realidade, a segurança em nuvem permite o acesso seguro a recursos corporativos de qualquer lugar, mantendo os dados e sistemas protegidos.

Como funciona a segurança em nuvem?

A segurança em nuvem é uma abordagem abrangente que envolve a implementação de várias camadas de medidas de segurança para proteger os ativos digitais, aplicativos e sistemas que estão na nuvem. Portanto, não existe uma única descrição que aborda completamente o seu funcionamento. Contudo, o objetivo primordial da segurança em nuvem consiste em assegurar que somente indivíduos autorizados tenham acesso aos dados armazenados nesse ambiente.

Abaixo, descrevemos exemplos de como poderia funcionar a segurança na nuvem:

Autenticação e autorização

  • A autenticação exige que os usuários forneçam credenciais, como nome de usuário e senha, autenticação de dois fatores (2FA) ou biometria para acessar os recursos na nuvem.
  • A autorização determina quais permissões os usuários têm e quais recursos podem acessar. Isso é geralmente gerenciado com base em funções e políticas de acesso.

Criptografia

  • Todos os dados em repouso e em trânsito são criptografados. Isso impede que terceiros não autorizados acessem ou entendam os dados, mesmo que consigam acessá-los.

Firewalls e detecção de intrusão

  • Firewalls monitoram o tráfego de rede, filtram pacotes maliciosos e evitam acessos não autorizados.
  • Sistemas de detecção de intrusão (IDS) e sistemas de prevenção de intrusão (IPS) identificam e respondem a atividades suspeitas ou ameaças em tempo real.

Segurança de rede

  • Isolação de redes é usada para separar aplicativos e dados críticos de outros sistemas.
  • Redes virtuais privadas (VPNs) fornecem uma conexão segura para acesso remoto aos recursos da nuvem.

Monitoramento e análise de segurança

  • Ferramentas de monitoramento rastreiam o tráfego e atividades em busca de comportamentos anormais.
  • Análise de segurança de big data é usada para identificar ameaças e tendências de segurança.

Proteção contra malware

  • Antivírus e antimalware são usados para identificar e remover software malicioso.

Backup e recuperação

  • Cópias de segurança são regularmente criadas e armazenadas fora do local para garantir a recuperação de dados em caso de falha.

Conformidade e regulamentação

  • Empresas devem cumprir regulamentações específicas, como GDPR, HIPAA, SOX, entre outras, e implementar medidas de segurança que atendam a essas exigências.

Gestão de identidade e acesso

  • Soluções de IAM (Identity and Access Management) gerenciam de forma centralizada a identidade e as permissões dos usuários.

Treinamento e conscientização

  • Funcionários são treinados para reconhecer ameaças de segurança, como phishing, e seguir as políticas de segurança da empresa.

Atualizações e patches

  • Sistemas e software são atualizados regularmente para corrigir vulnerabilidades conhecidas.

Recuperação de desastres

  • Planos de recuperação de desastres garantem que a empresa possa se recuperar rapidamente de eventos adversos, como falhas de servidores ou desastres naturais.

Avaliação de riscos

  • As empresas realizam avaliações regulares de riscos para identificar e mitigar possíveis ameaças.

5 desafios da segurança em nuvem

A segurança em nuvem é um tema crítico que precisa ser abordado com cuidado. As empresas que lidam com informações sensíveis precisam garantir que seus dados estejam seguros e protegidos contra ameaças cibernéticas. Aqui estão cinco desafios que as empresas enfrentam em relação à segurança em nuvem:

Riscos de segurança cibernética

A segurança cibernética é um dos maiores desafios enfrentados pelas empresas que utilizam a nuvem. A natureza distribuída da nuvem torna difícil proteger os dados e sistemas contra ameaças cibernéticas. Além disso, a complexidade da nuvem pode dificultar a identificação de vulnerabilidades e a aplicação de patches de segurança.

Infelizmente, muitas empresas em todo o mundo já sofreram com a falta de segurança cibernética. Um exemplo notável é o caso da Equifax, uma das maiores agências de crédito dos Estados Unidos. Em 2017, a Equifax sofreu um grande ataque cibernético que expôs informações pessoais de mais de 140 milhões de pessoas. O ataque foi causado por uma vulnerabilidade em um software de código aberto que a empresa usava para gerenciar seus sistemas. O incidente resultou em uma série de processos judiciais e multas para a Equifax, além de danos significativos à sua reputação.

Gerenciamento de identidade e acesso

O gerenciamento de identidade e acesso é outro desafio importante. Com a nuvem, os usuários podem acessar aplicativos e dados de qualquer lugar, o que pode tornar difícil controlar quem tem acesso a quais recursos. As empresas precisam implementar políticas de gerenciamento de identidade e acesso para garantir que apenas usuários autorizados tenham acesso aos recursos da nuvem.

Também em 2017, a Deloitte sofreu um grande ataque cibernético que expôs informações confidenciais de seus clientes. O ataque foi causado por uma falha no gerenciamento de identidade e acesso, que permitiu que os hackers acessassem os sistemas da empresa sem serem detectados, resultando em uma série de processos judiciais e multas para a empresa, além de danos significativos à sua reputação.

Conformidade regulatória

As empresas que lidam com informações sensíveis precisam cumprir uma série de regulamentações e padrões de segurança. A nuvem pode tornar difícil cumprir essas regulamentações, especialmente quando se trata de dados que cruzam fronteiras internacionais.

Um exemplo real de uma empresa que enfrentou desafios em relação às regulamentações e padrões de segurança ao usar a nuvem é o caso da Uber, que lida com informações pessoais e sensíveis de passageiros e motoristas.

Em 2017, a Uber revelou um incidente de segurança em que dados de mais de 57 milhões de usuários, incluindo nomes, endereços de e-mail e números de telefone, foram comprometidos por hackers. A empresa optou por não divulgar publicamente o incidente, o que levou a alegações de encobrimento.

Como resultado, a Uber enfrentou uma série de consequências legais e regulatórias, incluindo investigações por autoridades em vários países e processos judiciais. Isso destacou a importância de cumprir as regulamentações de proteção de dados, notificar violações de segurança e adotar práticas de segurança rigorosas ao usar a nuvem, especialmente quando se lida com informações sensíveis e ao operar em uma escala global.

Gerenciamento de dados

O gerenciamento de dados é outro desafio importante. Com a nuvem, os dados podem ser armazenados em vários locais e em vários formatos. As empresas precisam garantir que os dados sejam armazenados de forma segura e que possam ser recuperados em caso de falha do sistema.

Neste caso, um exemplo de empresa que enfrentou desafios significativos no gerenciamento de dados na nuvem é a T-Mobile, uma grande operadora de telefonia móvel nos Estados Unidos.

Em 2021, a T-Mobile relatou um incidente de segurança em que informações de mais de 40 milhões de clientes foram comprometidas. Os dados incluíam informações pessoais sensíveis, como nomes, números de seguridade social, números de identificação de motorista e informações de contas bancárias. Esse incidente foi resultado de uma violação de dados que afetou um fornecedor terceirizado da empresa.

O caso da T-Mobile destacou a importância do gerenciamento de dados na nuvem e a necessidade de garantir que os fornecedores terceirizados também cumpram rigorosas práticas de segurança. Além disso, demonstrou como as empresas que confiam na nuvem para armazenar e processar dados sensíveis precisam adotar medidas adequadas de segurança, criptografia, monitoramento e resposta a incidentes para proteger esses dados e notificar os clientes afetados em caso de violação.

Esse incidente serviu como um lembrete das responsabilidades das empresas no gerenciamento de dados na nuvem e a importância de se preparar para possíveis violações de segurança, independentemente de onde os dados estejam armazenados.

Gerenciamento de incidentes

O gerenciamento de incidentes é outro desafio importante. As empresas precisam ter planos de contingência em vigor para lidar com incidentes de segurança na nuvem. Isso inclui a capacidade de detectar rapidamente incidentes de segurança, avaliar o impacto e tomar medidas corretivas.

Um caso envolve a Adobe Systems, que sofreu uma grande violação de dados que afetou cerca de 38 milhões de contas de usuários. Os hackers tiveram acesso a informações de clientes, incluindo IDs de usuário, senhas criptografadas e informações de cartões de crédito.

O incidente na Adobe destacou a importância do gerenciamento de incidentes na segurança da nuvem. A empresa foi criticada por não criptografar adequadamente as senhas dos usuários e por não detectar a violação de dados imediatamente. Como resultado, a empresa teve que tomar medidas para reforçar suas práticas de segurança e notificar os clientes afetados.

Esse exemplo ilustra como as companhias que confiam na nuvem para armazenar dados sensíveis devem ter planos de contingência eficazes para lidar com incidentes de segurança, bem como a importância de implementar práticas rigorosas de segurança para evitar tais violações.

Práticas recomendadas para garantir a segurança na nuvem

A preocupação com as melhores práticas da segurança em nuvem não é exagero, uma pesquisa da Check Point Research aponta que no ano de 2022, cerca de 98% das empresas haviam implementado pelo menos um serviço baseado na nuvem. Contudo, houve um aumento de 48% nos ataques direcionados a esses serviços, com os invasores visando principalmente as informações de acesso, consideradas altamente valiosas no cenário atual. Dessa forma, entender quais são as melhores práticas de segurança em nuvem se torna uma prioridade para as empresas. 

Compreender o modelo de responsabilidade compartilhada

É importante que as empresas compreendam o modelo de responsabilidade compartilhada adotado pelos provedores de serviços em nuvem. Isso significa que tanto o provedor quanto o cliente têm responsabilidades em relação à segurança dos dados e sistemas na nuvem. Os líderes de TI devem garantir que sua equipe esteja ciente das responsabilidades da empresa em relação à segurança na nuvem.

Implementar políticas de gerenciamento de identidade e acesso

As empresas devem implementar políticas de gerenciamento de identidade e acesso para garantir que apenas usuários autorizados tenham acesso aos recursos da nuvem. Isso inclui a implementação de autenticação multifator, senhas fortes e a revogação de acesso de usuários que deixaram a empresa.

Monitorar a atividade do usuário

As empresas devem monitorar a atividade do usuário na nuvem para detectar atividades suspeitas ou maliciosas. Isso pode incluir o monitoramento de logs de acesso, o uso de ferramentas de análise de comportamento do usuário e a implementação de alertas para atividades suspeitas.

Implementar criptografia de dados

Outra prática essencial é implementar criptografia de dados para proteger os dados em trânsito e em repouso. Isso inclui a criptografia de dados armazenados em servidores em nuvem e a criptografia de dados transmitidos entre dispositivos.

Realizar testes de penetração

Também deve-se realizar testes de penetração regulares para identificar vulnerabilidades em seus sistemas e aplicativos em nuvem. Isso pode incluir a realização de testes de penetração internos e externos e a implementação de correções para quaisquer vulnerabilidades identificadas.

Manter-se atualizado sobre as ameaças de segurança

Os líderes de TI devem manter-se atualizados sobre as ameaças de segurança mais recentes e as melhores práticas de segurança na nuvem para que repassem a importância à equipe. Isso pode incluir a participação em fóruns de segurança em nuvem, a leitura de relatórios de ameaças de segurança e a implementação de soluções de segurança em nuvem atualizadas.

Qual a relação da segurança em nuvem com a transformação digital? 

A transformação digital é um processo que envolve a adoção de tecnologias digitais para melhorar a eficiência e a eficácia dos processos de negócios. A nuvem é uma das tecnologias mais importantes na transformação digital, pois permite que as empresas acessem recursos de computação e armazenamento sob demanda, sem a necessidade de investir em infraestrutura local.

No entanto, a segurança em nuvem é um tema crítico que precisa ser abordado com cuidado durante a transformação digital. A natureza distribuída da nuvem torna difícil proteger os dados e sistemas contra ameaças cibernéticas. Além disso, a complexidade da nuvem pode dificultar a identificação de vulnerabilidades e a aplicação de patches de segurança.

Por outro lado, a transformação digital pode ajudar a melhorar a segurança em nuvem. A adoção de tecnologias digitais pode permitir que as empresas implementem políticas de gerenciamento de identidade e acesso mais eficazes, monitorem a atividade do usuário na nuvem e implementem criptografia de dados para proteger os dados em trânsito e em repouso.

Para garantir a segurança em nuvem durante a transformação digital, as empresas precisam implementar boas práticas de segurança, como compreender o modelo de responsabilidade compartilhada, implementar políticas de gerenciamento de identidade e acesso, monitorar a atividade do usuário, implementar criptografia de dados e realizar testes de penetração regulares.

A Netflix se considera pioneira em novas tecnologias segurança em nuvem e proteção de dados, inclusive tem diversos conteúdos sobre a temática. Esse status não é recente, em abril de 2011 a confiabilidade da nuvem foi questionada quando parte do serviços web da Amazon tiveram um colapso e ficaram inativos por três dias. Muitas empresas ficaram vulneráveis, mas apesar da Netflix utilizar os serviços de segurança em nuvem da Amazon ela não foi tão afetada. Isso porque o time de segurança de infraestrutura da nuvem tem um grande trabalho para projetar arquiteturas que resistem a interrupção desse tipo de serviço. 

Recentemente a Netflix criou a Snare uma plataforma de detecção, aprimoramento e de resposta projetada para lidar com descobertas relacionadas à segurança em ambientes de nuvem. Esta ferramenta é encarregada de processar uma quantidade significativa de registros, chegando a alcançar milhões por minuto, e de analisá-los para gerar alertas e respostas correspondentes. Além disso, a plataforma oferece um espaço dedicado para os engenheiros de segurança da Netflix acompanharem o andamento das atividades, documentar as descobertas, monitorar o progresso das investigações e assegurar a resolução adequada de quaisquer problemas identificados. As áreas de atuação da Snare incluem detecção, aprimoramento, geração de relatórios e gerenciamento, assim como a implementação de medidas corretivas.

Fonte: Netflix Blog

Os efeitos do uso do Snare têm sido impressionantes para a Netflix, resultando em uma redução média de 73,5% no volume de falsos positivos identificados em seus fluxos de dados. Com o tempo adicional disponível, a equipe pôde direcionar seus esforços para o desenvolvimento contínuo de novas detecções e recursos para o Snare, resultando em um aumento significativo no número de detecções internas e na integração bem-sucedida de várias soluções de detecção fornecidas por diferentes provedores de segurança. 

Consequentemente, os responsáveis pela criação de detecções podem se concentrar exclusivamente na lógica de detecção em si, enquanto todas as demais etapas são gerenciadas de forma eficiente pela plataforma. Apesar do pioneirismo em segurança em nuvem, a Netflix afirma que ainda tem um longo caminho a percorrer. 

Tendências em segurança em nuvem

A segurança em nuvem é um campo em constante evolução, e há muitas tendências que podem afetar a maneira como as empresas abordam a segurança em nuvem. Aqui estão algumas das principais tendências:

Automação 

A automação será cada vez mais importante na segurança em nuvem. As empresas precisarão de soluções de segurança em nuvem que possam automatizar a detecção e resposta a ameaças cibernéticas. Isso inclui a implementação de soluções de inteligência artificial e aprendizado de máquina para detectar ameaças em tempo real.

Gerenciamento de identidade e acesso

O gerenciamento de identidade e acesso continuará sendo um desafio importante na segurança em nuvem. As empresas precisarão implementar políticas de gerenciamento de identidade e acesso mais eficazes para garantir que apenas usuários autorizados tenham acesso aos recursos da nuvem.

Conformidade regulatória

A conformidade regulatória continuará sendo um desafio importante na segurança em nuvem. As empresas precisarão cumprir uma série de regulamentações e padrões de segurança, especialmente quando se trata de dados que cruzam fronteiras internacionais.

Segurança centrada em dados

A segurança centrada em dados será cada vez mais importante na segurança em nuvem. As empresas precisarão implementar soluções de criptografia de dados e gerenciamento de chaves para proteger os dados em trânsito e em repouso.

Gerenciamento de incidentes

O gerenciamento de incidentes continuará sendo um desafio importante na segurança em nuvem. As empresas precisarão ter planos de contingência em vigor para lidar com incidentes de segurança na nuvem. Isso inclui a capacidade de detectar rapidamente incidentes de segurança, avaliar o impacto e tomar medidas corretivas.

A segurança na nuvem é um tema crítico para as empresas, especialmente para aquelas que lidam com informações sensíveis. Neste texto, discutimos alguns dos principais desafios que as empresas enfrentam em relação à segurança em nuvem, como riscos de segurança cibernética, gerenciamento de identidade e acesso, conformidade regulatória, gerenciamento de dados e gerenciamento de incidentes. Para entender como podemos te ajudar, conheça nossos serviços de DevSecOps e fale com nossos especialistas.

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.