< Insights

Entenda o que é Produto Mínimo Viável (MVP)

  • Inovação e Gestão

Empresas que possuem a inovação e o foco no cliente como cotidiano devem estar sempre atentas às  necessidades, procedimentos e técnicas usadas pelos destaques do mercado, em especial, em suas fases de concepção e operação. Uma dessas técnicas é o MVP, Produto Mínimo Viável, em inglês Minimum Viable Product

Ao longo da matéria, você irá entender o que é um MVP, quais são os seus benefícios, conhecer exemplos e aprender como criar um MVP eficaz. Aproveite!

O que é um MVP?

O termo MVP foi criado em 2001 por Frank Robinson, CEO da californiana SyncDev, e foi explorado no livro “A Startup Enxuta”. A partir de então, o MVP se tornou um método de empreendedorismo muito utilizado por diversas empresas e no meio digital nos últimos anos. 

O MVP consiste em um conjunto de testes primários que são realizados a fim de proporcionar mais viabilidade e assertividade aos negócios. 

O processo é composto por várias experimentações desenvolvidas para que o produto seja levado até um grupo de clientes, mas vale ressaltar que esse não é o produto final. 

Quando citamos o MVP, estamos falando de um produto com o mínimo de recursos possíveis, que deve manter sua funcionalidade em solucionar os problemas que foram mapeados. 

Portanto, essas funcionalidades não valem ser apenas soltas, juntas elas precisam configurar um produto, mesmo que ele esteja em fase de experimentação.

A partir disso, a empresa poderá oferecer o mínimo de funcionalidades para que conheça, na prática, a reação do mercado juntamente à compreensão do cliente sobre seu produto e, claro, se ele soluciona o problema.

Quais os benefícios do MVP?

No MVP, a perda de tempo, energia e dinheiro não ocorre, pois ele é capaz de conseguir desenvolver um produto por um valor baixo e a curtos prazos.

Além disso, ele também abre possibilidades de redução de riscos no mercado, como a recusa de clientes diante de um produto. Ao invés de obter um alto risco de aceitação diante desse produto pronto, as técnicas de MVP testam as soluções em períodos de tempo e custos reduzidos.

A partir disso, fique atento e busque não entrar para a lista de empresas que gastaram além dos limites para o lançamento de novos produtos que naufragaram por aí.

Por fim, uma das melhores vantagens é que o MVP possui trocas diretas e um acompanhamento mais eficiente da empresa, em relação ao comportamento do cliente e à sua proposta de solução, o que possibilita a aproximação com o público.

Exemplos de MVP

Aqui vão alguns exemplos do bom uso de um MVP:

Easy Taxi

Vinícius Garcia, durante a QCon do Rio de Janeiro em 2015, apresentou a Easy Taxi e como eles utilizaram o MVP. Eles fizeram um aplicativo mínimo onde as pessoas poderiam pedir um táxi no Rio de Janeiro. 

Eles só prosseguiram com o desenvolvimento do produto após constatar que as solicitações teriam atingido uma quantidade que eles acreditavam ser razoável.

Goat Simulator

Imagine que você é o diretor de uma empresa que produz jogos eletrônicos e um de seus desenvolvedores tem a ideia de desenvolver um jogo de simulação estilo GTA, mas ao invés de simular uma pessoa, simular uma cabra.

A princípio você poderia até achar a ideia absurda, mas depois iria se questionar se as pessoas gostariam de viver como uma cabra em um mundo virtual.

Plugmeter

Um grupo de alunos do curso de Ciências da Computação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) resolveu criar um produto pensado em resolver o problema dos aparelhos que puxam muita energia e proporcionam o aumento na conta de luz de sua residência.

Nessa solução, o Plugmeter, funcionava como uma extensão que era ligada à rede elétrica e mostrava o quanto o aparelho medido estava gastando por hora que permanecia ligado.

O que MVP não é

Esse termo se perdeu com o tempo e, infelizmente, muitas empresas perderam a noção do conceito original. Existem lugares que usam ciclos demorados para produzir um MVP, isso é muito tempo para avaliar uma hipótese.

Com base nisso, veremos o que o MVP não é: protótipo, fase do projeto, demora, produto terminado e produto sem métrica.

O protótipo é composto pelas as características do produto e, no MVP, ele é descartado e o produto só é construído conforme seus resultados, não pelas características.

Já falando das fases do projeto, muitas empresas possuem um modelo definido de entregas, mas isso não é um MVP. 

Em relação à demora, um MVP não pode ser demorado, pois, se isso acontece, aponta que você só possui certezas ou quer validar várias hipóteses ao mesmo tempo.

Se todos se encontram orgulhosos pelo produto terminado que está sendo entregue por ele estar completo, é um mal sinal.

Por fim, para validar uma hipótese, é necessário comprovar com números de métricas o sucesso ou fracasso de seu MVP.

New call-to-action

Como criar um MVP de forma ágil

O MVP in agile project management é a parte de um time que monta um planejamento conforme as entregas de MVPs, o que o torna ágil em sua essência. 

Para isso, é necessária uma boa combinação de métodos ágeis para que o desenvolvimento e o acompanhamento dos MVPs sejam eficazes. Alguns desses métodos são as seguintes reuniões:

Grooming

Uma reunião feita dias antes da Planning, que tem como finalidade deixar todas as histórias preparadas para entrarem no backlog. É por meio dessa reunião que o MVP e suas features são apresentados em histórias.

Planning

Realizada no começo de um ciclo, e tem como finalidade escolher as histórias futuras que serão trabalhadas pelo time. Nessa ocasião, o MVP e features são utilizados a fim de esclarecerem objetivos e metas do ciclo.

Daily

Essa é uma reunião diária que proporciona o acompanhamento do time em relação ao desenvolvimento do trabalho e o decorrer das histórias. Aqui, os updates são realizados pelos times em nível de histórias e features.

Review

Já a review é uma reunião feita ao final do ciclo que tem como finalidade apresentar o estado  do produto que está sendo criado. 

Além disso, ela é responsável por rever todo o progresso das histórias e, ao mesmo tempo, realizar comparações em relação ao planejamento apresentado na Planning.

Nessa reunião, o MVP e as features ajudam no processo de vinculação das histórias com o progresso do produto. Então, ao ser aprovada a última feature de um MVP, o pacote do MVP é  fechado e, a partir disso, liberado para o negócio.

Neste artigo explicamos de forma simples o que é um MVP e citamos alguns exemplos no mercado. Mas um ponto de atenção na criação de qualquer MVP é que tudo precisa ter métricas. Sem ter dados concretos e medidos, você terá um experimento sem análises e que não poderá ser validado. 

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.