< Insights

User Interface: a importância para o sucesso da sua empresa no mundo digital

  • User Experience e Design Thinking
  • Artigo

No universo do design digital, a interface do usuário (UI) assume um papel cada vez mais central, refletindo não apenas os avanços tecnológicos, mas também as mudanças nas expectativas e comportamentos dos consumidores. À medida que adentramos 2024, observamos tendências emergentes que moldam a forma como interagimos com dispositivos digitais.

A relevância das interfaces do usuário vai além da estética, impactando diretamente a forma como nos conectamos e interagimos no mundo digital. Isso é evidenciado pelo uso massivo das redes sociais, com 4,95 bilhões de usuários ativos globalmente em 2023, um aumento de 7,07% em relação ao ano anterior. Este dado não apenas reflete a penetração da tecnologia digital em nossa vida cotidiana, mas também sublinha a importância de projetar UIs que sejam não apenas atraentes, mas também funcionais e acessíveis para um público global diversificado.

Portanto, enquanto as tendências de UI continuam a evoluir, fica claro que o desafio e a oportunidade para os designers de UI residem em criar interfaces que não apenas atendam às expectativas estéticas dos usuários, mas que também promovam uma experiência de usuário fluida, intuitiva e inclusiva. Neste contexto, a UI não é apenas um componente do design digital, mas uma ponte essencial entre a tecnologia e o usuário, desempenhando um papel crucial na definição da qualidade e do sucesso das interações digitais. Confira mais sobre o tema a seguir!

O que é User Interface (UI) e qual a sua importância?

User Interface (UI), ou Interface do Usuário, é o meio pelo qual os usuários interagem com dispositivos eletrônicos, softwares ou aplicativos. Essencialmente, é composta por todos os elementos que permitem a um usuário controlar um dispositivo ou aplicação, incluindo telas de exibição, páginas, botões, ícones, e até mesmo gestos e comandos de voz. A UI é a superfície tangível com a qual o usuário interage, e seu design é crucial para facilitar essa interação, tornando-a o mais intuitiva, eficiente e agradável possível.

A importância da User Interface no mundo digital moderno é imensa, pois ela determina a qualidade da experiência do usuário (UX) ao interagir com a tecnologia. Uma UI bem projetada pode significar a diferença entre o sucesso e o fracasso de um produto digital. Isso porque uma interface intuitiva e fácil de usar reduz as barreiras à adoção da tecnologia, melhorando a acessibilidade e permitindo que pessoas de todas as idades e habilidades possam interagir com dispositivos e serviços digitais de maneira eficaz. Além disso, uma UI atraente pode capturar a atenção do usuário e criar uma primeira impressão positiva, o que é crucial em um ambiente digital cada vez mais saturado.

A UI tem também um papel fundamental na acessibilidade, assegurando que produtos digitais possam ser utilizados por pessoas com diversas capacidades, incluindo aquelas com deficiências visuais, auditivas, motoras ou cognitivas. Projetar para a acessibilidade significa criar interfaces que sejam flexíveis e adaptáveis, permitindo a personalização conforme as necessidades individuais dos usuários. Isso não apenas amplia o alcance dos produtos digitais, mas também reforça princípios de inclusão e diversidade no design digital.

Por fim, uma User Interface eficaz contribui diretamente para a satisfação do usuário, retenção e lealdade. Quando os usuários encontram facilidade e prazer no uso de um produto digital, eles são mais propensos a continuar utilizando-o e recomendá-lo a outros. Isso se traduz em benefícios tangíveis para empresas e desenvolvedores, como aumento nas taxas de conversão, redução no número de chamadas de suporte e, em última análise, um maior sucesso comercial.

UX e UI: quais suas diferenças

Os termos UI e UX (User Experience, ou Experiência do Usuário) frequentemente aparecem juntos no contexto do design de produtos digitais, mas referem-se a aspectos distintos e complementares da criação de websites, aplicativos e sistemas. Compreender as diferenças entre UI e UX é fundamental, pois ambos desempenham papéis cruciais no sucesso de produtos digitais.

UI (User Interface)

A User Interface é o aspecto visual e interativo de um produto digital. Inclui:

  • Elementos Visuais: como layout, cores, tipografia, botões, ícones e imagens.
  • Interatividade: a maneira como o usuário interage com o aplicativo ou site, incluindo a navegação e outros elementos de controle.
  • Tecnologias de Implementação: as ferramentas e frameworks utilizados para construir a interface, como HTML, CSS, JavaScript.

O foco da UI é a estética e a funcionalidade dos elementos de interface com os quais os usuários interagem diretamente. O objetivo é tornar a interação do usuário com o produto a mais simples, intuitiva e agradável possível.

UX (User Experience)

A User Experience abrange todos os aspectos da interação do usuário final com a empresa, seus serviços e seus produtos. Inclui: 

  • Pesquisa de Usuário: entender quem são os usuários, o que eles necessitam, quais valores, habilidades e limitações eles possuem.
  • Design Estratégico: planejamento da estrutura e funcionalidades do produto de modo a alinhar com as necessidades e desejos do usuário.
  • Testes de Usabilidade: avaliação de como os usuários interagem com o produto e identificação de áreas para melhoria.
  • Desenvolvimento de Personas: criação de personagens fictícios baseados nos usuários típicos para guiar a tomada de decisão de design.

A UX é um conceito mais amplo que abrange a experiência completa do usuário com o produto, desde a descoberta até a interação e além. O objetivo da UX é garantir que os usuários encontrem valor nos serviços e produtos oferecidos, proporcionando uma experiência satisfatória, eficiente e significativa.

Diferenças Chave

UI e UX se complementam na resolução de produtos, suas principais diferenças são:

  • Foco: enquanto a UI concentra-se nos elementos concretos com os quais os usuários interagem, a UX foca na jornada completa do usuário com o produto, incluindo aspectos emocionais, psicológicos e comportamentais.
  • Objetivo: a UI visa criar uma interface atraente e funcional; a UX busca otimizar a experiência do usuário como um todo, maximizando a satisfação do usuário.
  • Processo: o design de UI é uma parte do processo de design de UX. A UX começa com a compreensão das necessidades do usuário, seguindo para o design de uma interface (UI) que atenda a essas necessidades de maneira eficaz.

Uma interface atraente sem uma boa experiência de usuário pode levar à frustração dos usuários, enquanto uma ótima experiência de usuário com uma interface pobre pode não engajar os usuários a ponto de utilizar o produto. Portanto, a integração harmoniosa entre UI e UX é vital para atender e superar as expectativas dos usuários.

Princípios da UI

Para a criação de uma interface do usuário eficaz e atraente, é necessário a adesão de princípios fundamentais de design. Estes princípios ajudam a orientar o desenvolvimento de interfaces que não apenas pareçam boas, mas também atendam as preocupações do time de UX e proporcionem uma experiência de usuário suave e intuitiva. Aqui estão os princípios essenciais do design de UI:

Clareza

A clareza é fundamental em UI design. Os usuários devem ser capazes de entender como interagir com a interface sem confusão. Isso significa usar ícones e comandos intuitivos, rotulagem clara e uma hierarquia visual que guie o usuário através das tarefas de forma lógica.

Consistência

Manter uma consistência visual e funcional em todo o produto ajuda os usuários a aprender como as coisas funcionam mais rapidamente e reduz a curva de aprendizado. Elementos como botões, ícones, cores e tipografia devem ser uniformes para reforçar a previsibilidade da interação.

Feedback

O design da UI deve fornecer feedback rápido sobre as ações do usuário. Seja por meio de animações, mensagens de erro, vibrações ou sons, o feedback ajuda os usuários a entender que sua ação foi recebida e processada e tomar qualquer decisão necessária para modificar um feature no produto.

Eficiência de Uso

A UI deve ser projetada para facilitar e acelerar a interação do usuário com o aplicativo ou site. Isso pode ser alcançado por meio de atalhos, a capacidade de personalizar a interface do usuário e a implementação de padrões que aceleram o processo de interação.

Estética

Um design visualmente atraente pode significar melhorar a experiência do usuário, aumentando o prazer e a satisfação na interação com o produto. A estética deve, no entanto, servir à função e à clareza, seguindo a identidade visual da empresa, a fim de manter tudo padronizado. 

Prevenção de Erros

Além de permitir a fácil recuperação de erros, um bom design de UI deve visar preveni-los. Isso pode ser feito por meio de confirmações antes de ações críticas, validação de dados em tempo real e design intuitivo que minimize as chances de erro do usuário.

Hierarquia Visual

A hierarquia visual é usada para guiar a atenção do usuário para as informações mais importantes na tela, utilizando tamanhos, cores e posicionamentos. Isso ajuda a organizar a interface de modo que os usuários possam processar informações eficientemente.

Acessibilidade

Design de UI deve considerar todos os potenciais usuários, incluindo aqueles com deficiências visuais, auditivas, motoras ou cognitivas. Isso envolve o uso de contraste de cores adequado, tamanhos de fonte legíveis, navegação por teclado e descrições de texto para imagens (alt text).

Simplicidade

A simplicidade é a chave para uma interface eficaz. Isso significa minimizar a quantidade de elementos na tela e manter apenas o necessário para a tarefa em questão. Uma interface limpa e descomplicada facilita a navegação e a compreensão pelo usuário. 

Flexibilidade

A interface do usuário deve ser flexível o suficiente para acomodar as necessidades de diferentes tipos de usuários e permitir personalizações. Isso pode incluir modos de alto contraste, ajustes de tamanho de texto ou configurações para otimizar a experiência de acordo com as preferências do usuário e dependendo de qual tecnologia ele estará acessando aquele produto, podendo ser Mobile ou Desktop, por exemplo.

Todos esses princípios estão ligados também à área de UX. Reforçamos por isso a importância de ambas trabalharem juntas e garantirem o melhor produto ao consumidor final, promovendo a eficiência, a satisfação e a acessibilidade.

Benefícios para os negócios

A mudança no comportamento do cliente na era digital é um fenômeno marcante, influenciado principalmente pelo acesso fácil e rápido a uma vasta quantidade de informações online. Atualmente, antes de fazer uma compra ou se engajar com uma marca, os consumidores tendem a realizar pesquisas extensivas, não apenas sobre os produtos e serviços oferecidos, mas também sobre as experiências que outros clientes tiveram com a empresa. Este comportamento é facilitado pelas avaliações e comentários disponíveis em várias plataformas digitais, como redes sociais, websites de reviews, fóruns e outras plataformas de e-commerce.

Essa tendência destaca a importância da UX/UI como um elemento central na estratégia de negócios das empresas. Uma experiência positiva do usuário não só aumenta a probabilidade de conversões e vendas, mas também contribui para a construção de uma reputação online sólida, que pode ser amplamente beneficiada por avaliações e feedbacks positivos de clientes satisfeitos. Empresas que negligenciam essas frentes de atuação podem encontrar-se em desvantagem, enfrentando dificuldades em atrair e reter clientes em um mercado cada vez mais competitivo e orientado pela informação.

Uma UI intuitiva e agradável pode transformar completamente a forma como os clientes interagem com seu produto ou serviço, oferecendo uma experiência fluida que pode aumentar a satisfação e a fidelidade do cliente. Empresas como a Nissan, por exemplo, investiram pesadamente na transformação digital, otimizando seus processos com um local de trabalho totalmente digital e sistemas ERP que melhoram a comunicação interna e a eficiência, o que, por sua vez, melhora a experiência do cliente. 

Exemplo

Um exemplo clássico é a importância da velocidade de carregamento de um site ou App. Um estudo realizado pelo Google, descobriu que o tempo de carregamento de uma página afeta diretamente as taxas de abandono do site. Conforme a pesquisa, páginas que demoram mais de 3 segundos para carregar veem uma taxa de abandono substancialmente maior do que aquelas que carregam mais rapidamente. Isso ressalta como os usuários modernos esperam uma experiência online rápida e eficiente, e qualquer atraso pode levar à perda de interesse e à saída do site.

Além disso, a facilidade de navegação em uma interface é crucial para ajudar os usuários a encontrar o que precisam rapidamente. Uma UI complicada ou confusa pode frustrar os usuários, levando-os a abandonar o site antes de encontrar o produto, serviço ou informação desejada. Portanto, o design intuitivo e a arquitetura da informação bem estruturada são essenciais para garantir que os usuários possam navegar facilmente pelo site, melhorando a satisfação do usuário e aumentando as chances de conversão ou retenção.

Toda essa hiperconectividade elevou as expectativas dos consumidores, que agora buscam conveniência, acessibilidade e experiências de compra personalizadas. Estratégias como o omnichannel, que integram canais de comunicação online e offline para proporcionar uma experiência de cliente coesa, são essenciais para atender a essas novas demandas​​.

Segundo o site Neil Patel, estudos indicam que 74% dos consumidores se tornaram mais conscientes e cautelosos com seus gastos, com 43% optando por comprar mais marcas próprias e 34% fazendo mais compras online de produtos que antes adquiriam em lojas físicas​​. Entender esse comportamento é crucial para desenvolver UIs que não apenas atraem a atenção dos consumidores, mas também facilitam o processo de decisão de compra, oferecendo uma experiência de usuário satisfatória que pode levar à fidelização do cliente e impactando diretamente no faturamento das empresas. 

A influência da UI na acessibilidade

A UI acessível é projetada para atender às necessidades de todos os usuários, incluindo aqueles com deficiências visuais, auditivas, motoras ou cognitivas, garantindo que o conteúdo digital seja universalmente acessível.

Uma UI considerada acessível adota práticas de design e desenvolvimento que removem barreiras que possam impedir a interação ou acesso ao conteúdo digital. Por exemplo, para usuários com deficiência visual, uma UI acessível oferece suporte a leitores de tela e possibilita o ajuste de tamanhos de texto e contrastes de cor. Para aqueles com limitações motoras, assegura que todas as funções possam ser executadas via teclado ou através de dispositivos de assistência especializados.

Além disso, a clareza e simplicidade na apresentação, que destacamos como um dos pilares, é exatamente pensando em produtos digitais mais acessíveis, ajudando usuários com dificuldades cognitivas a compreender e navegar pelo conteúdo sem frustrações. Isso inclui o uso de linguagem simples, instruções claras e a organização lógica de informações e elementos interativos.

A importância da acessibilidade

A importância da UI acessível vai além da responsabilidade social, tornando-se um imperativo legal em muitos países, onde regulamentações exigem que serviços digitais públicos e privados sejam acessíveis a todos os cidadãos. Além disso, do ponto de vista empresarial, uma UI acessível amplia o alcance do mercado, incluindo potenciais clientes que de outra forma seriam excluídos.

O desenvolvimento destas também reflete positivamente na marca, demonstrando compromisso com a inclusão e a diversidade. Empresas que priorizam a acessibilidade em suas interfaces digitais ganham não apenas em termos de conformidade e alcance de mercado, mas também fortalecem sua reputação e relacionamento com os consumidores.

Em suma, a influência da UI na acessibilidade é profunda e multifacetada, estendendo-se desde a inclusão social e conformidade legal até vantagens competitivas no mercado. Portanto, a adoção de práticas de design e desenvolvimento acessíveis deve ser uma prioridade estratégica para todos que desejam criar experiências digitais verdadeiramente universais e inclusivas.

Tendência de UI

As tendências de UI são baseadas no comportamento do consumidor. Cada empresa e segmento vai ter detalhes que funcionam melhor ou pior. De modo geral, no ano passado, o trabalho virtual continuou forte e impactou nas tendências de UI/UX que  concentram-se na criação de ambientes digitais mais envolventes, intuitivos e amigáveis.

Vamos conferir algumas delas, segundo pesquisas do site User Guiding. 

Adoção do dark siders

Destacando-se a crescente preferência pelo modo escuro, que não só aprimora a estética de aplicativos e sites, mas também oferece uma experiência visual mais confortável para os usuários. Além de serem elegante, estilosos e moderno, a adoção do modo escuro tem mais vantagens como: 

  • Economiza bateria se o dispositivo usar tela OLED ou AMOLED.
  • É melhor em termos de legibilidade do texto.
  • É melhor para reduzir o cansaço visual ao usar o dispositivo à noite.
  • Reduz o brilho da tela e minimiza as luzes azuis.

Neumorfismo

Uma combinação de design plano e skeuomorfismo para uma aparência suave e quase 3D, combinando cores de fundo, formas, gradientes e sombras para garantir a intensidade gráfica dos elementos da UI e integração de micro-interações avançadas para criar experiências mais intuitivas. 

Animações

Uma alternativa aos banners estáticos, as animações podem aprimorar a experiência do usuário, tanto na UI como na promoção de produtos. 

Tipografias ousadas

Além disso, tipografias ousadas, gradientes suaves e elementos 3D estão se tornando mais prevalentes, melhorando o apelo visual e o engajamento do usuário. Experiências personalizadas e a ascensão de super apps indicam uma tendência para interações digitais mais integradas e personalizadas.

Realidade aumentada

Muitos jogos AAA estão chegando às plataformas VR. O design de UI para AR será uma das tendências significativas.

Interface de usuário de voz (VUI)

A tendência de UI e UX pós-pandemia inclui interações que dispensam o toque físico, especialmente interfaces controladas por voz. As interfaces ativadas por voz ganham espaço, evidenciando um avanço significativo na precisão e na facilidade de uso, tornando a tecnologia mais acessível e intuitiva. Métodos como comando de voz e gestos no ar estão se tornando cada vez mais populares, com um aumento notável no uso de serviços que operam por meio de comandos vocais.

Cases de Sucesso

Já pudemos perceber que a UI impacta diretamente nos negócios ao influenciar a percepção do consumidor e a decisão de compra, reforçando a importância de investir em design e estratégias de experiência do usuário. Uma UI bem projetada pode significar a diferença entre uma experiência de compra frustrante e uma jornada de compra agradável, que não só atende, mas supera as expectativas do consumidor, promovendo a fidelidade à marca e impulsionando o sucesso dos negócios no competitivo mercado digital.

Sicoob Coopercredi

Empresas que conseguiram identificar o valor do UI/UX nos negócios já puderam colher frutos. A transformação do modelo de negócios através da UI é evidenciada pela história da Sicoob Coopercredi, que implementou ferramentas de automação para mapear processos internos, resultando em uma redução de 72% no tempo de solicitação de serviços e a eliminação de 50% das impressões de documentos​​. Isso mostra como a UI pode desempenhar um papel crucial na redefinição de como os serviços são prestados e consumidos.

Ocean Drop

Já a Ocean Drop, um e-commerce de superfoods, diferenciou-se no mercado saturado investindo em uma experiência de usuário superior. Com um site de design limpo e intuitivo, a empresa conseguiu atingir uma taxa de conversão de 1% na primeira semana, um excelente resultado para um novo e-commerce​​.

Amazon

A Amazon também não ficou de fora, renomada por suas inovações em UX Design, incluindo a funcionalidade de compra com um clique e a apresentação destacada das avaliações mais úteis, melhorou significativamente a experiência de compra com investimentos em UX resultando em ganhos de até 100 vezes o valor investido.

Netshoes

Por fim, outra gigante do varejo, a ​Netshoes, implementou mudanças significativas em seu site com base em testes de usabilidade, visando melhorar a experiência do usuário. Através dessas modificações, como um layout mais limpo e botões de call to action mais visíveis, a empresa conseguiu aumentar a conversão em 2%, um incremento significativo considerando as alterações pontuais.

Para ter resultados como estes, fidelizar o consumidor e aumentar os lucros na sua empresa, conte com quem sabe ser digital, na Objective temos um time completo de experiência do usuário e design, além de ofertas de portais personalizados com a Liferay e análise de dados para suporte ao time. Entre em contato e saiba mais!

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.