< Insights

Agile Coach: o que é, quanto ganha e certificações.

  • Metodologias

O mercado da agilidade vem crescendo muito nos últimos anos como resposta à crescente demanda das empresas que buscam adotar o modelo. Diversos profissionais têm procurado se qualificar para atender a demanda, se tornando assim um Agile Coach.

Mas ainda há muitas dúvidas sobre a profissão. Por isso, confira abaixo tudo sobre como esse trabalho funciona, salário, certificações e habilidades necessárias.

Veja nosso artigo, tenha uma ótima leitura!

A procura por um profissional Agile Coach tem crescido no mercado I Foto: Pixabay

O Agile Coach ou agilista é o profissional especialista na implementação da Metodologia Ágil nas empresas e em corporações. Ou seja, a sua função é garantir a conquista de resultados melhores e trabalhos de boa qualidade, otimizando o trabalho dos Times e setores. Dentre as forças para fazer isso, há vários métodos e quem guiará a corporação na escolha deles é, justamente, o agile coach.

Nesse sentido, o agilista tem como foco principal identificar a mais assertiva prática a ser usada dado o contexto do cliente, buscando as melhores soluções, por meio da aplicação de estudo, levantamento e técnicas.Continue lendo e saiba mais.

Agile coach salário

Agora, você deve estar se perguntando quanto é o agile coach salário?. O agilista inicia a carreira ganhando cerca de 6.000 a 7.500 reais. No entanto, com o tempo, esse profissional pode ganhar até mais ou menos 16 mil reais. Sendo que agile coach salário gira, em média, em torno de 12.500 reais. O que determina o valor são alguns aspectos, como a cidade, habilidades, certificações e estágio da carreira em que o profissional se encontra.

Certificação agile coach

A certificação agile coach é um aspecto bastante importante para a formação do Agilista. Por isso, é preciso que o profissional que esteja em busca de uma boa qualificação, experiência e, consequentemente, maior remuneração, invista nisso.

Confira, então, os tipos de certificação agile coach mais relevantes, úteis e procuradas:

1. Kanban Management Professional (KMP)

Essa é a certificação agile coach certa para as pessoas que desejam aprender as técnicas de gerenciamento Kaban em todos os níveis, isto é,o pessoal, de equipe e organizacional.

2. Kanban System Improvement (KMP2)

O KMP2 tem como foco o agilista que quer se aprofundar ainda mais, aprendendo os conceitos avançados do Lean Kanban.

3.Certified ScrumMaster (CSM)

Certificação em nível introdutório da Scrum Alliance para aquele agilista que quer fazer parte de uma equipe Scrum, na função de um Scrum Master. Ele é recomendado e muito usado pelos profissionais que trabalham em times gerais.

4. Scrum Master Professional (PSM)

Essa é a certificação agile coach de nível básico da Scrum.org. Mas para que você seja aprovado nela, você terá que mostrar um entendimento e conhecimento do Scrum, que é estabelecido a partir do Guia Scrum.

5. Professional Scrum Product Owner (PSPO)

Já o PSPO é focado em quem quer trabalhar na implementação da agilidade no gerenciamento dos produtos.

6. Certified Scrum Product Owner (CSPO)

O certificado CSPO é recomendado para aqueles profissionais que querem trabalhar como gestor de produtos ágeis. Isso porque, ele é voltado para as responsabilidades do Product Owner, o que é muito importante no Framework Scrum.

7. Management 3.0

O Management 3.0 é indicado para quem quer aperfeiçoar as suas habilidades de gestão, aprimorando-se com técnicas e ferramentas de melhoria contínua e  no engajamento de pessoas. 

8. Certificação em ágil escalado

Também é indicado que o Agile Coach procure por certificação em ágil escalado.  Isso fará um grande diferencial em seu currículo e conhecimento, por isso é bom investir nessa certificação. São exemplos de ágil escalado: o SAFe , o LeSS, o Nexus, o DAD e o Flight Levels..

As Habilidades e os requisitos necessários para ser um Agile Coach

Além da implementação de mais agilidade nas atividades e nas conquistas de resultados da empresa, o agile coach precisa ter, ainda, outras habilidades para que possa exercer a sua profissão. Contudo, elas ultrapassam a questão das certificações e do conhecimento teórico, para adquiri-las é preciso prática e experiência. A principal delas é ter compreensão da responsabilidade de orientar e liderar as equipes para que elas cheguem em um equilíbrio entre eficácia e eficiência.

Sendo assim, para ser um bom agilista não é suficiente apenas ter certificações, é preciso aliar a formação ao desenvolvimento de experiências e, consequentemente, de habilidades preciosas para a profissão.

Estamos falando na conquista de capacidades, como por exemplo, a perspicácia na hora de promover uma orientação, rapidez na resolução de problemas e de conflitos, além de executar corretamente os métodos para a implementação da agilidade, é claro. 

Mas nenhuma habilidade é tão relevante e importante como “identificar a dor de seu cliente e começar com o que você tem”. Não importa a senioridade do coach, se ele tentar empurrar uma metodologia no time que foi inserido sem o contexto e ser ir na direção da dor, ele fracassará. Saber ler o time, aplicar um conjunto de técnicas de múltiplas metodologias (se necessário) e saber quais não aplicar, são meio caminho para o sucesso. E começar com o que tem é tão importante quanto, pois você modificará o existente, fará a mudança de dentro pra fora de forma gradativa e incremental, usando a realidade e não inventando coisas.

Como ressaltado, também, é preciso ter prática nesse trabalho. Uma vez que é adquirindo experiência que você irá melhorar aos poucos na profissão. Irá percebendo, aos poucos, onde estão as suas falhas e faltas de habilidades. Principalmente, porque o agile coach é uma profissão muito ativa e, por isso, depende muito da prática e das experiências já adquiridas anteriormente.

Você precisará, sobretudo, ser coach, mentor, agente de mudanças, professor, orientador, facilitador e líder. Sem contar, ainda, que o domínio técnico de negócios e de transformação são um diferencial. Visto que, eles fazem com que o seu perfil profissional fique mais identificado com o de agilista, que é capaz de transitar e colaborar com um espaço técnico e de negócios.

Agile Coach: modelos falhos

A fundamentação teórica dos métodos, práticas e ferramentas é muito importante. Mas no dia a dia sabemos que a realidade é diferente. Pois estamos inseridos em ambientes altamente complexos e talvez até caóticos.

No dia a dia, o Agile Coach precisa estar atento às equipes e a qual abordagem está utilizando para lidar com elas. Diferentes equipes necessitam de diferentes abordagens. Uma abordagem que funciona com um time pode ser que não funcione em outro, esse é o principal desafio da profissão.

Por isso, alguns modelos de coaching de atuação podem trazer problemas e fazer com que o processo de coach agile e de melhoria do time não sejam tão efetivos. Logo, devemos evitar cometer determinados erros.

Lyssa Adkins em seu livro Coaching Agile Teams descreve alguns desses modelos de coaching ágil vivenciados por ela mesma como falhos e outros como sucesso. Esses modelos são formas e comportamentos que, na posição de Agile Coach, podemos ter com os times e precisamos evitar. Vejamos quais são eles:

1.O espião

Gasta apenas o tempo suficiente para pegar tópicos para a próxima retrospectiva e desaparece.

2. A gaivota

 Aparece repentinamente na daily meeting, faz observações e apontamentos bem intencionados para todos da equipe e vai embora.

3. O opinador

Expressa suas opiniões frequentemente e se apega a elas, perdendo o objetivo de ensinar a equipe a ter boas discussões.

4. O administrador

Enfraquece a autonomia do time tornando-se um intermediário para a logística das reuniões, solicitações e outras coisas administrativas.

5. O roteador

Atua como o centro do universo da comunicação entre os membros dos times e a coordenação das atividades.

6. A borboleta

Voa de equipe em equipe e fica apenas o tempo necessário para transmitir uma pérola de sabedoria ou apresentar uma questão filosófica.

7. O especialista

 Envolve-se profundamente nos detalhes do trabalho do time que não consegue ver a situação como um todo.

8. O animador

Prestativamente, “lembra” o time de iniciar as daily meetings, atualizar o quadro, completar as atividades entre outras coisas.

Provavelmente, você se identificou com alguns deles, não? Com certeza já utilizamos alguns, por exemplo: quando a equipe deixa de atualizar as atividades ou não começa a daily, provavelmente atuamos já como “o animador”; quando o time trava em alguma discussão pode ser que atuemos como “o especialista” tentando trazer a solução de forma simples e rápida.

Sempre passamos por algum desses modelos, seja de forma consciente ou inconsciente. Mas não se preocupe, nenhum deles trará alguma consequência catastrófica quando atuamos de forma consciente e não frequente, porém se esses comportamentos forem inconscientes e frequentes, você poderá estar minando a habilidade de auto-organização do time.

Agile Coach: modelos de sucesso

Agora chegou a hora de saber como o Agile Coach deve se comportar.

1.O mágico

Faça perguntas que – voila! – revelem o que estava lá, mas não podia ser visto.

2. A criança

Genuinamente se pergunte “Por quê?” e é impulsionado pela insaciável curiosidade sobre a vida e tudo sobre ela.

3.O ouvinte

Escuta tudo, porém dá espaço às pessoas para crescerem por não responder a tudo.

4. O animado

Mantém a situação divertida, leve e somente um pouco fora de equilíbrio para tirar as pessoas da zona de conforto.

5. O sábio tolo

Faz perguntas simples e esclarecedoras.

6. A parreira

Faz movimentos pequenos e imperceptíveis que pouco a pouco vão puxando o time novamente para o ágil.

7. O sonhador

Dá voz a possíveis futuros a espera de serem criados.

8. O megafone

Certifica-se de que todas as vozes são ouvidas, especialmente a voz dos oprimidos.

Agile Coach, considerações finais

Portanto, para se tornar um bom Agile Coach é necessário praticar bastante e prática se resume a falhas, sucessos e o que aprendemos com tudo isso. Quanto mais você praticar, mais poderá transitar entre os modelos de coaching e encontrar a melhor ou as melhores combinações de modelos para lidar com os times e atingir os objetivos esperados. Por isso, a experiência é tão importante na profissão.

Outra dica importante é atuar em pares sempre que possível. Uma vez que, um colega pode acabar nos ajudando a identificar os comportamentos que não estamos observando no time ou muito menos enxergando em nós mesmos.

Atuação em pares

Fique atento a esses e outros modelos de atuação com os times e sempre faça uma autoavaliação ou peça ajuda para um colega lhe ajudar nessa parte. Precisamos buscar mecanismos para ser mais eficientes e eficazes na nossa comunicação sempre. Também é necessário ter sensibilidade para conseguir levar em conta as particularidades de cada empresa, corporação e função para que, assim, possa implementar o melhor método o possível.

Conhece algum modelo de coaching diferente, além do agile coach? Compartilhe com a comunidade, então!

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.