< Insights

Quais as diferenças entre escopo aberto e fechado?

  • Desenvolvimento de software

Algumas dúvidas são recorrentes em todo projeto na área de Tecnologia da Informação. Uma das mais comuns é definir qual será o modelo de escopo a ser implementado: aberto ou fechado?

Essa escolha deve ser feita com cuidado, na fase inicial do projeto, no momento de elaboração do contrato. Isso porque ela pode impactar significativamente no sucesso daquilo que está sendo elaborado, bem como na experiência do cliente. Por isso, vamos falar neste artigo sobre quais são as diferenças entre escopo aberto e fechado, e auxiliar na escolha do modelo ideal. Boa leitura!

Como a escolha do escopo interfere no projeto?

A escolha do escopo está intimamente atrelada com a liberdade para mudança nos rumos do projeto ao longo da sua elaboração: será permitida uma maior flexibilidade para mudanças ao longo das etapas de desenvolvimento ou não? Há possibilidade de desvios para a jornada traçada no início do projeto?

O escopo define praticamente como serão todas as etapas posteriores do projeto. Assim, pode-se definir quais serão as equipes envolvidas e os colaboradores que têm um perfil mais próximo com o desejado, o que minimiza falta de alinhamento entre os envolvidos.

Além disso, a relação de você com a empresa também modifica de acordo com a escolha realizada. No caso do escopo aberto, sua empresa será parte presente e atuante ao longo da trajetória. Enquanto no escopo fechado, sua participação é interrompida ao definir ao aprovar o projeto original e, assim, deve aguardar para receber a solução por completa na entrega do projeto final.

Assim, essa questão deve estar definida no ato de contratação, para que ambas as partes decidam qual será o modelo abordado no projeto. Isso precisa estar claro em contrato, de forma a evitar surpresas posteriores.

O que é o escopo aberto?

O escopo aberto é aquele no qual o contrato prevê formas de realizar mudanças no projeto definido previamente, seja solicitado por parte do cliente, seja por recomendações das equipes de desenvolvimento.

Nesse caso, ocorre a realização de um orçamento previsto. Contudo, ele não é fechado, ou seja, os custos podem aumentar ao longo do tempo dependendo do desejo do cliente e dos requisitos definidos para a solução (claro, aprovação e comunicação transparente com o cliente).

Assim, o cliente aponta qual é o resultado desejado e a empresa terá o papel de encontrar o melhor caminho para isso. Problemas, sugestões e melhores ideias podem surgir no caminho e, assim, ser possível adaptar os processos.

O que é o escopo fechado?

O escopo fechado é aquele que minimiza ao máximo possível os desvios do projeto original. Claro que algumas mudanças podem ser realizadas, quando necessário, mas isso precisa ser feito o mínimo possível.

Assim, de imediato, pode parecer uma proteção para a empresa que contrata o serviço, de forma que os valores não superam, consideravelmente, o que foi orçado previamente, e que ele receberá exatamente a solução solicitada e aprovada no projeto inicial. Assim, altera-se muito pouco dos custos totais e mantém a previsão de orçamento inicial.

Contudo, é apenas uma aparente segurança. Caso ele perceba que alguma funcionalidade ou questão não é bem-aceita ou que precise ser modificada, não será possível fazer as alterações. Assim, ele só poderá solicitar um novo projeto, em um outro momento, para realizar as mudanças necessárias. Será preciso criar um projeto, em escopo fechado, para as alterações.

Ou seja, o escopo fechado deixa o projeto mais limitado, o que pode ser complicado, principalmente, quando o mercado atual exige necessidade de mudanças rápidas diante de adversidades, impedindo que algumas estratégias ou requisitos sejam implementados, caso seja preciso.

Qual o modelo mais vantajoso?

Essencialmente, as diferenças entre eles se resumem, justamente, na questão sobre a liberdade acerca de mudanças no projeto. O escopo aberto abre essa possibilidade, enquanto o fechado faz com que as equipes precisem focar em realizar estritamente o proposto, independentemente dos problemas que ocorram durante o percurso.

O escopo fechado, assim, trabalha com um orçamento fechado, no qual há, dificilmente, alterações no valor, podendo ser o meio mais seguro para quem possui um budget limitado ou está realizando um projeto mais conservador.

Já no escopo aberto, o pagamento será baseado nas horas de trabalho das equipes. Em caso de alterações, esse valor será muito menor, pois já estará incluso no processo.

Além disso, o escopo aberto dá maior liberdade para processos de inovação, algo fundamental para determinados tipos de projeto. Muitas vezes, aquele concebido previamente pode não ser o mais adequado para o objetivo do cliente e os colaboradores têm maior liberdade para encontrar o caminho ideal.

Assim, é mais fácil fazer as adaptações e adequações necessárias para tornar o projeto mais alinhado com a perspectiva do cliente, podendo realizar projetos de forma escalável, com agilidade e personalizados para as demandas do negócio, evitando que a solução fique defasada.

Isso pode ser importante, principalmente, em negócios que priorizam o uso de metodologias ágeis. Um dos seus princípios diz que é melhor priorizar possíveis mudanças do que seguir planos de forma restrita. Assim, se esse é um ponto adotado em sua empresa, é melhor repensar a possibilidade de uso dos escopos fechados.

Contudo, isso não significa que você não deva adotar o escopo fechado. Se fizer sentido para a lógica do seu negócio, opte por ele. O importante é ter ao seu lado a opção que possa alavancar os resultados a longo prazo.

Portanto, para tomar uma decisão mais acertada, apontamos algumas dicas que podem auxiliá-lo nos processos:

  • Duração do projeto: para aqueles de longo prazo, problemas podem surgir, os quais ainda não podem ser previstos pelas equipes, bem como não é possível saber, ainda, qual será a solução mais indicada, algo que só poderá ser identificado durante o processo. Nesses casos, a flexibilização pode ser mais interessante. Da mesma forma, quando o cliente precisa de maior agilidade na entrega (consequentemente, levar ao uso do Agile), o escopo aberto soa mais favorável;
  • Orçamento: para budgets mais enxutos, alterações podem elevar o valor do projeto e comprometer a sua execução. É importante avaliar esse tipo de questão;
  • Natureza do projeto: aqueles que incentivem à inovação precisam de maior liberdade para atuação. Outros já têm um caráter mais engessado e, portanto, pode-se aplicar o escopo fechado.
  • Considere os pontos que abordamos acima para fazer a sua escolha de forma mais acertada, compreendendo com maior exatidão quais são as principais diferenças entre escopo aberto e fechado. Assim, você saberá identificar quais projetos permitem a adoção de cada modelo e levar a melhores resultados para sua empresa de Tecnologia da Informação.

Gostou deste artigo? Quer mais dicas interessantes como essa? Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos!

Sugira um artigo

    Para enviar o formulário é necessário o aceite das políticas.

    Insights do nosso time

    Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.