< Insights

Business Agility: o que é e como implantar nas empresas

  • Metodologias

Business Agility é a capacidade que uma empresa tem em reagir rapidamente às mudanças de mercado, ou seja, é a sua agilidade em se adaptar.

E isso surge porque o mundo está em constante mudança: a necessidade do cliente muda. A concorrência muda. A tendência de mercado muda.

O conceito está associado àquela interpretação de Charles Darwin, que diz:

“não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”. 

Cultura sistêmica e o nível estratégico, tático e operacional 

O Business Agility tem que alcançar os três níveis hierárquicos de uma empresa: o estratégico, topo da pirâmide, tático, onde ficam os líderes e gestores, e o operacional, que é a base da pirâmide. 

Então, a cultura de pensamento sistêmica deve partir do mindset do nível estratégico da empresa, que deve acreditar na mudança.

Dessa forma, a alta gestão é a responsável por disseminar aos outros níveis da pirâmide. Esse recorte tem que ser feito de forma vertical, de forma que a alta liderança precisa acreditar fielmente nas novas mudanças para poder impactar e ter resultados nos outros dois níveis.

Fatores que compõem o Business Agility

O Business Agility traz em sua base três fatores para uma alteração cultural que fazem as empresas pensarem de maneira ágil e efetiva.

Vamos explicar mais sobre elas:

Visão Sistêmica

O primeiro fator desta composição, e o mais importante, é a Visão Sistêmica

É necessário ter a cultura do pensamento sistêmico, porque é preciso melhorar a empresa como um todo e não apenas dores locais, ou seja, em um setor ou outro. 

Flexibilidade ou Descentralização

Neste ponto falamos sobre a mudança de prioridades e, para isso, é necessário ter um planejamento estratégico, pois, é a partir dele que será baseado o novo plano da empresa.

O ato de planejar é importante, porque será preciso dar flexibilidade para as equipes trabalharem. Flexibilidade essa,  que está em realocar uma equipe ou um recurso financeiro, por exemplo.

Portanto, definimos este segundo ponto como ter a capacidade de abandonar planejamento e replanejar. 

Capacidade de Escalar

O terceiro ponto, mas não menos importante, é a Capacidade de Escalar. De replicar o conhecimento sistêmico em todos os segmentos, trocar conhecimentos e ter boas práticas colaborativas.

Assim, esses três pontos são importantes e, principalmente, complementares, uma vez que um depende do outro para chegar a um objetivo comum. 

O valor da mudança para o Business Agility

O segredo para que as pessoas vejam sentido na mudança cultural da empresa é fazer com que elas entendam o seu real motivo. E para isso é preciso mostrar o valor que terá. 

Um propósito claro de agilidade é melhorar a vida do funcionário, porque você organiza o fluxo de trabalho e melhora diretamente o trabalho desse funcionário ou até mesmo da equipe. 

Case de Business Agility

Um exemplo de Business Agility surgiu com a pandemia do COVID-19, que são as fabricantes de máscaras.

A pandemia fez surgir um novo nicho de mercado e as pessoas entenderam essa necessidade do uso recorrente deste novo acessório, e começaram a fabricar diferentes tipos de máscaras, com preços e modelos diversos.

Baseado nisso, podemos afirmar que a pandemia foi o maior agente de agilidade e adaptação dos últimos tempos. 

A Fómula 1 e a NBA também são exemplos de Business Agility, pois tiveram que se adaptar ao novo cenário de distanciamento social.

Cada uma refez seu planejamento estratégico para reagir ao momento do mercado, sem deixar o negócio desaparecer, mas sim se adequar ao momento de forma rápida. 

6 aspectos para alterar o mindset

 Listamos seis aspectos de como romper a maneira de pensar de uma empresa, segundo nosso Agile Coach, Fábio Torres:

  1. Planejamento Estratégico
  2. Planejamento Fiananceiro
  3. Recursos Humanos
  4. Liderança
  5. Time
  6. Novas Tecnologias

O primeiro aspecto é o Planejamento Estratégico da empresa, ter agilidade no planejamento para conseguir replanejar. 

Isso leva automaticamente em um segundo aspecto: o Planejamento Financeiro.

Planejar é investir, realocar recursos, comprar tecnologia, fazer parceria. Tudo isso faz parte do planejamento e isso significa dinheiro. 

A falta de agilidade sistêmica no orçamento é um grande problema, pois têm empresas que realizam seu planejamento anual e as mudanças acontecem em um tempo menor. 

Para agilizar processos pequenos, que não demandam orçamento da empresa, é preciso refazer o planejamento. 

Outro aspecto importante no planejamento é o setor de Recursos Humanos.

Se ele não tiver uma agilidade grande, por exemplo, tirar uma pessoa de um setor e colocar em outro. Tudo porque a questão da habilidade é importante para o desempenho do funcionário e o resultado para a empresa. 

Já pararam pra pensar em quantas pessoas não se encaixam com a habilidade que estão desempenhando? O Recursos Humanos é o apoio ao trânsito de pessoas que as grandes empresas precisam a todo momento. 

O setor também deve ser ativo no planejamento estratégico, já que ele está diretamente ligado a política de trabalho da empresa. 

Outro aspecto importante é a Liderança. Todas as lideranças funcionam como disseminadores da cultura.

Além desses, temos o Time, que é o conhecimento sistêmico que precisa estar disseminado nas equipes do campo operacional, pois todos ali precisam “ver” sentido naquela mudança, porque quem faz a entrega real das mudanças que serão feitas na empresa é este Time.

Por fim, as Novas Tecnologias. Aqui é o momento que a empresa precisa estar antenada com a inovação tecnológica e a automação para alavancar processos. Quanto mais automatizar processos, mais “ágil” o fluxo.

É válido acompanhar o mercado e as novas tecnologias que surgem para entender qual é a ferramenta para comunicação que melhor se adequa ao contexto da sua empresa.

Então, como implantar o Business Agility?

Para implantar o Business Agility você precisa entender o contexto e trabalhar a mentalidade dos colaboradores.

A cultura da alta gestão é o primeiro fator. A pessoa responsável por implantar essa mudança deve ser capacitada para entender o problema da empresa e estar focada nisso. Ela precisa entender as dores dos três níveis hierárquicos da empresa para conseguir passar o valor daquela mudança e capacitar as pessoas.

Segundo Fabio Torres Agile Coach da Objective,

“é preciso ouvir muito as pessoas para colocar em prática o seu Business Agility, porque primeiro você precisa entender a dor para depois saber qual remédio irá usar”.  

Começar pequeno é a solução para implantar com sucesso o Business Agility. É avaliar o que pode dar certo na empresa e a partir de então, com as métricas de mercado, expandir para todos os níveis empresa. 

A nossa dica extra aqui é criar cases internos de agilidade, apresentando e reconhecendo equipes que se destacaram e agregaram valor a metodologia, e então apresentar as métricas utilizadas para expandir aos outros setores.  

Quer saber mais como mudar um mindset cultural da sua empresa para começar a implantação do Business Agility? Clique aqui e entenda como funciona nossa consultoria!

Sugira um artigo

    Para enviar o formulário é necessário o aceite das políticas.

    Insights do nosso time

    Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.