< Insights

Sistemas Legados: como e por que introduzir técnicas modernas

  • Desenvolvimento de software

Hoje um dos maiores desafios das empresas e na área de TI é modernizar os sistemas legados com novas ferramentas, técnicas e automações, ainda mais porque no mundo digital as empresas estão cada vez mais dependentes da tecnologia e de sistemas.

Demandas dos clientes, backlog de novas funcionalidades, bugs, com todas essas demandas do dia a dia, será que sobra tempo para inovação? Empresas que não se transformam, morrem. Portanto, achar um momento para inovar é fundamental para manter as empresas competitivas e sair na frente de seus concorrentes. 

Agora você se pergunta: qual a ligação da inovação com sistemas legados? Neste artigo vamos falar sobre a sustentação de sistemas legados, modernização e inovação.

O que é um sistema legado e suas desvantagens

Sistemas Legados são plataformas em obsolescência que estão em uso dentro de uma companhia por muitos anos. 

De acordo com o autor e engenheiro de sistemas na Walt Disney Company, Michael C. Feathers, em seu livro “Working effectively with legacy code”, código legado é um código sem testes automatizados.

Ele completa afirmando que os principais desafios dos processos legados são: débito técnico e trabalho manual. 

Apesar das empresas manterem os sistemas antigos por confiabilidade, a manutenção de um software desatualizado gera maior custo para a empresa e, traz também muitos bugs, principalmente quando se tenta implementar melhorias nesse processo. 

Além disso, os sistemas defasados abrem espaços para processos manuais, que estão sempre sujeitos a falhas humanas e podem causar problemas que seriam evitados por meio da automação. 

Vale tomar maior cuidado quanto a  vulnerabilidade dos sistemas legados sobre o armazenamento de dados, o que faz cair o argumento de confiabilidade utilizado muitos nas empresas e abrir espaços para repensarem no uso de criptografia desses dados, atualizando os patches de segurança.

Por um ponto de vista menos pragmático, cabe às empresas buscar a satisfação do funcionário. Abordamos esse tema porque, na maioria das vezes, desenvolvedores se sentem frustrados, já que o conhecimento de um sistema legado é limitado apenas há algumas pessoas e o processo de aprendizado é lento, e as mudanças são baseadas no que é possível de realizar e não no propósito do que é melhor para a empresa.

Como saber se a sua empresa possui um sistema legado

São diversos critérios que podemos analisar para definir um sistema legado. Quem é da área de TI com certeza já deve ter ouvido muito se falar sobre isso.

Listamos alguns tópicos para você classificar se um sistema é legado ou não:

O objetivo aqui é mostrar que sistemas legados não são todos os sistemas antigos, mas sim sistemas antigos que não atendem mais os objetivos da empresa e precisam de melhorias incrementais.

Benefícios em migrar os sistemas legados

As empresas dependem da tecnologia constantemente, mas a falta de manutenção e melhorias tornam os sistemas legados, e é isso que acontece na maioria dos casos.

Conforme a empresa atualiza sua estratégia, foco, produtos e serviços, torna-se necessário também a modernização do sistema para crescer e desenvolver de acordo com essa evolução.

Mas para que isso seja eficaz, é necessário que códigos acrescentados ou modificados sejam monitorados para manter o controle e organização aos desenvolvedores, sejam eles os atuais ou os próximos que entrarão no projeto.

Um frase bastante citada pelos usuários de sistemas legados é: “para cada bug corrigido, dois novos problemas são introduzidos”.

Assim como em qualquer construção, é de extrema importância a manutenção da obra, e com sistemas não é diferente.

Segundo o professor Thomas Pigoski, o custo de manutenção de um sistema legado tem crescido de 40%, nos anos 70, para o patamar de 90%, atualmente.

Muito se tem falado sobre a Transformação Digital e muitas vezes esta começa pela modernização do sistema core da empresa. 

Há muitos líderes de TI que apostam na estabilidade e manutenção destes sistemas e não percebem os benefícios a longo prazo que as novas tecnologias podem trazer para as suas empresas.

Uma das soluções que são indicadas em diversos cenários na migração de sistemas legados é a plataforma da Liferay. Saiba mais sobre suas funcionalidades em nosso eBook completo:

Como modernizar sistemas legados?

Bom, mas aí vem a grande questão: como modernizar esses sistemas se eles não podem parar e as empresas são totalmente dependente deles?

Adotar novas tecnologias é um reflexo para otimizar processos, ganhar produtividade e reduzir custos onde novos players surgem com soluções disruptivas e inovadoras.

Modularização, arquitetura de micro serviços, testes automatizados, treinamentos e reciclagem, além de práticas ágeis de gestão de equipes e projetos são indispensáveis e pré-requisitos em qualquer iniciativa de modernização, seja fazendo internamente ou através de outsourcing.

Algumas companhias optam por fazer esse trabalho internamente, com uma equipe específica para estas demandas que não tenha interferências de projetos paralelos. 

Esta equipe precisa estar preparada não só para a inovação, mas também para criar ferramentas e automações que agreguem valor no plano estratégico.

Outra forma é a terceirização ou contratar um pacote de soluções integradas, já que demanda muito planejamento e envolvimento da TI, desfocando-os de suas atividades principais. 

Aqui em nosso outro artigo sobre terceirização do desenvolvimento de software, você pode ter mais embasamentos para tirar suas próprias conclusões e definir, dentro do seu contexto, qual a melhor solução para migrar os sistemas legados.

Sugira um artigo

    Para enviar o formulário é necessário o aceite das políticas.

    Insights do nosso time

    Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.