< Insights

Internet das Coisas: qual o histórico e avanço até hoje?

  • Inovação e Gestão
  • Artigo

Ao citar a revolução tecnológica, um dos primeiros tópicos que aparecem em nossa mente é a IOT, ou internet das coisas. É um tópico ainda muito atual, e que cresce a cada dia que passa e tem até um certo poder sobre nosso futuro, deixando-o cada vez mais inesperado e imprevisível. 

A internet das coisas (IOT) traz um cenário onde objetos comuns de nossas rotinas não só tem acesso à internet como são conectados a ela, usando-a para se comunicarem de forma interna, criando diversas possibilidades de uso, como usar o telefone celular para ligar as luzes de um cômodo de sua casa.

Deixamos para trás a época em que tecnologia e internet se resumiam apenas em notebooks, computadores, celulares, tablets e Smart Tvs, agora ela engloba também aparelhos domésticos que nunca pensamos antes, como a cafeteira, geladeira, ar-condicionado, fogão e, por incrível que pareça, até mesmo uma lâmpada. Todos eles são capazes de se conectar à internet e funcionar de um jeito extremamente novo e único.

Pode até parecer uma cena do filme De Volta Para o Futuro, mas, com a IOT, poderemos em breve viver uma situação como: enquanto nos preparamos para o trabalho, chegue um alerta em nosso relógio (ou melhor, Smartwatch) dizendo que daqui 15 minutos é a hora ideal para sair de casa, devido ao trânsito. E durante o trajeto, seu carro autônomo consegue, graças ao sistema de bordo conectado à internet, decidir o melhor caminho a ser seguido até o seu trabalho.

Atualmente, tudo o que fazemos gera algum tipo de dado. Os celulares, que viraram uma extensão do corpo humano, tem nossas senhas, sabem por onde passamos e até mesmo quantos passos demos. Os novos Smartwatches conseguem saber nossos batimentos cardíacos, quantas calorias perdemos ao praticar esportes e também a distância exata que percorremos no limite de tempo que você desejar saber.

IOT está revolucionando a relação que temos com a tecnologia, mudando o modo que vemos e interagimos com o mundo à nossa volta, e também como ele reage a nós. Essa ideia pode mudar tudo em nossas vidas, como a forma que vivemos e trabalhamos. 

O que é Internet das Coisas (IoT) e como esse termo já evoluiu desde seu surgimento?

Depois de toda essa explicação, você pode estar se perguntando o que é IOT? Ou melhor, o que é a Internet das Coisas? 

O conceito de IOT é baseado na “comunicação” que os objetos podem ter entre si e conosco quando estão conectados à internet, graças a sensores e softwares de transmissão de dados para uma rede específica, que agem como o “sistema nervoso” da operação. Toda essa comunicação resulta em um ambiente mais responsivo e intuitivo aos usuários, que no caso somos nós.

O objetivo dessa conversa entre os objetos é deixar processos (rotineiros ou não) mais fáceis para o usuário, trazendo mais produtividade, informação, conforto e praticidade, ajudando em coisas como acompanhamento de saúde seja no hospital ou sua própria casa, monitorando e fornecendo informações do trânsito local ou prevendo nossos próximos interesses de compra – com base no algoritmo criado com o intercruzamento de dados pessoais.

Além disso, seu cotidiano se torna mais intuitivo e responsivo, como por exemplo otimizar seu tempo com o cruzamento de dados que a IOT faz, por isso que, ao colocar algum endereço no Google Maps, você recebe diversas rotas possíveis (sejam elas de carro, transporte público ou até a pé) e o tempo estimado de trajeto e chegada.

Com toda essa interconectividade acontecendo, que a IOT é responsável, o assistente virtual já sabe de toda a sua rotina e, por isso, ao repetir mais uma vez as mesmas etapas, ele já sabia o que fazer. Na verdade, ele aprendeu isso porque você repetiu tantas vezes a mesma rotina, que o assistente já sabe que, naquele dia, naquela hora, conectado àquela rede Wi-Fi, ele provavelmente vai ter que procurar sobre um trajeto específico, como faz todas as vezes.

Colocando de uma forma simples, alguns dos meios que a Internet das Coisas usa para se conectar e trocar informações são: Internet, Ethernet, Wi-Fi e Bluetooth entre outros. A troca dessas informações pode ter sido pessoa-dispositivo ou dispositivo-dispositivo, e o receptor pode ter armazenado-as, executado uma ação ou enviado algo em resposta.

Quais os benefícios da IoT?

A Internet das Coisas tem a capacidade de oferecer milhares de possibilidades e oportunidades de conexões, além daquelas que estão ao alcance do nosso conhecimento hoje.

Dispositivos como relógios inteligentes e fones de ouvido que conseguem monitorar os exercícios são cada vez mais adotados e usados no mercado e pelo público, além de serem exemplos fáceis para explicar a Internet das Coisas e suas conexões. Porém, eles não são os únicos.

Como dito acima, existem milhares de possibilidades de conexões existentes, muitas que nem consideramos ou pensamos assim que escutamos sobre a IOT, como estruturas que podem ser monitoradas pela internet, encontrando os problemas em tempo real, de modo que seja possível resolvê-los na hora e evitar acidentes que seriam de larga escala, como os de aviões e plataformas de extração de petróleo. Além de salvar dinheiro e otimizar o tempo, esse recurso seria capaz de salvar muitas vidas.

Falando de um modo mais abrangente, qualquer dispositivo eletrônico tem como ser adicionado à rede de conexões da Internet das Coisas. Justamente por isso, a IOT é comentada e é um tópico muito atual, porque ela é capaz de abrir muitas portas para nós no futuro, além de ser desafiadora, justamente por se tratar de algo muito recente.

A IOT tem inúmeras vantagens em nosso cotidiano, e mesmo que não seja um termo conhecido por grande parte das pessoas, podemos dizer que suas vidas são impactadas da mesma forma. 

Em uma casa, podemos notar a presença da IOT quando vemos a tecnologia utilizada para facilitar algo dentro da rotina, muitas vezes para ganhar tempo. Quando você coloca nas configurações de seu aspirador robô, que todos os dias enquanto você está no seu escritório, ele deve aspirar o chão dentro de um limite de tempo oferecido, ele irá fazer exatamente o que foi ordenado, a IOT está presente. 

Ou quando checa de seu próprio celular a sua casa, seus filhos ou pets por conta das câmeras de segurança presentes no local, que por Wi-Fi enviam as imagens até onde você estiver, a IOT também está presente. Seja monitorando seus exercícios por seu Smartwatch na academia, ou programando a cafeteira, a Internet das Coisas está presente.

Com toda essa influência em nosso dia a dia, vemos que a IOT nos ajuda a monitorar nossa casa e família, nossa locomoção, tarefas diárias e auxílio nas que demandam muito tempo e recursos, além da eficiência nas funções da rotina que acabamos sempre deixando para depois.

Qual a relação da Transformação digital e a Internet das Coisas

A Internet das Coisas e a Transformação Digital são correlacionadas, já que uma leva a outra, eventualmente. 

Quando falamos de Transformação Digital e como ela se interliga a Internet das Coisas, devemos lembrar qual é a premissa dela primeiramente. A Transformação Digital “pensa” que em um futuro muito próximo, tudo estará conectado. Empresas, linhas de produção, cidades, serviços governamentais, dados e quase tudo que usamos tanto no trabalho ou em casa vão se conectar. Conexão tamanha que chegou a modificar a forma das pessoas de fechar negócios, relacionar e até mesmo se comunicar.

Grandes empresas agora estão indo em direção a um futuro mais conectado, responsivo e rápido, e com a Transformação Digital, mudaram sua forma de agir. Essa mudança ocorreu por causa da presença da Internet das Coisas, que assumiu a liderança em tecnologia da Transformação Digital e se tornou a prioridade número um das empresas.

Além disso, a Transformação Digital deu lugar a uma ideia chamada de Smart Cities, onde toda essa tecnologia vai ser direcionada ao ambiente e infraestrutura que vivemos hoje. Com a Internet das Coisas a favor das Smart Cities, é possível desenvolver sistemas de controle de resíduos, de energia, de transporte e até mesmo um sistema que faça com que as leis sejam executadas mais rapidamente. Tudo isso movido a dados fornecidos pela IOT.

No momento em que vivemos, já é possível interagir e colher dados de sistemas inteligentes apenas com nossos celulares e outros dispositivos wearables (portáteis), e na Transformação Digital, sistemas inteiros vão se comunicar, como ônibus que conseguem atualizar sua localização em tempo real, caminhões de lixo que recebem alertas de onde pegar o lixo e muito mais.

Como são as aplicações da IoT nas empresas?

Agora que já vimos todos os benefícios da Internet das Coisas em nossas vidas pessoais, como será que é o uso da IOT nas empresas?

O uso da Internet das Coisas em empresas é capaz de garantir uma certa vantagem competitiva perante os concorrentes, por exemplo. Com ela, você pode tornar processos, máquinas e ferramentas muito mais rápidos, inteligentes e em sintonia, conseguindo melhorar coisas como a estratégia de automação dos processos industriais da empresa, e também problemas administrativos, como planilhas responsivas, interativas e projetáveis, de forma que melhore a qualidade do serviço. 

 Além disso, as aplicações de IOT nas empresas, sejam elas pequenas ou grandes, podem ajudar a:

  •  Ter insights de negócios que atendam mais aos interesses da empresa e saber como é a experiência do cliente;
  •  Ter resultados mais eficientes e eficazes;
  •  Criar novos modelos de negócios;
  •  Reduzir custos e tempo de inatividade na produção;

Algumas das áreas que você pode implementar na Internet das Coisas na sua empresa e garantir bons resultados são marketing, vendas, administrativo, produção, financeiro, compras e inteligência. Com isso, é possível garantir uma boa experiência digital ao cliente e bons resultados para seu negócio.

New call-to-action

Novos modelos de negócio em IOT

Grande parte dos casos de uso da Internet das Coisas em empresas foi feito para melhorar a produtividade, eficiência e monitoramento de processos. Um exemplo que ilustra isso é o modelo de produto-serviço. Um produto físico pode ser vendido como um serviço ou ainda gerar informações que podem ser monetizadas, abrindo oportunidade de novos negócios para as empresas. 

Na indústria automotiva, por exemplo, já vemos a produção de veículos conectados, que podem promover mais segurança com avisos de recall diretamente pelo carro ou alertas e ligações automáticas em casos de acidentes. Ainda promovem redução de despesas, além de uma certa economia no que diz respeito ao combustível.

Outro caso seria a correlação entre clima e falhas na eletricidade. Através dessa inteligência e da análise desses dados, a operadora seria capaz de indicar a melhor opção para a rede, a fim de minimizar apagões e outros problemas relacionados à falta de energia elétrica.

Pay as a Service

Pay as a Service, ou Paas, é um serviço que surgiu com a IOT que é capaz de oferecer pacotes de software, hardware, gateway e também apoio, tudo isso em uma solução integrada de pagamentos única, que é entregue por uma infraestrutura especial.

Subscriptions

Subscriptions (em português, assinaturas) é um modelo de ecommerce que surgiu através dos clubes de assinatura, onde seus clientes são fixos e renovam mensalmente ou anualmente. A partir do IOT as empresas têm novas oportunidades de serviços, como oferecer um sistema de monitoramento médico através de um smartwatch ou a contratação de stream de áudio diretamente pela caixa de som. 

Pay per Transaction

O Pay per Transaction permite a cobrança de acordo com o uso ou aquisição, que aliada a dispositivos conectados permite  que os pagamentos sejam facilitados, ou seja, cobrados adequadamente e sem interações.

Pay per recommendation/ Alarm

O Pay per recommendation é um sistema de marketing com base na ferramenta de recomendações, em que o sistema filtra os dados para que sejam criadas sugestões personalizadas para os usuários.

Para onde o termo IOT está caminhando? Conheça sobre o IOE

Depois da Internet das Coisas, apareceu a Internet of Everything, ou apenas IOE. Venha ver mais sobre ela:

O que é IOE?

A Internet of Everything tem base em quatro pilares fundamentais: pessoas, dados, coisas e processos. Com os elementos juntos, é possível compreender melhor o comportamento de praticamente tudo que está ao nosso redor. Os pilares estão sempre interagindo, o que possibilita um melhor desenvolvimento de ideias, produtos, práticas, e também uma análise melhor de tendências e comportamento. A IOE consegue transformar dados em informações, o que fará que insights melhores sejam produzidos, ajudando a interpretação feita pelas pessoas, do que está acontecendo e o que possivelmente vai acontecer.

Principais diferenças do IOE para o IOT

É possível dizer que a IOT é uma parte dentro da IOE, ou até mesmo que é uma ferramenta dentro dela, já que a IOT foca mais na conectividade entre os dispositivoss, enquanto a IOE tem uma performance mais abrangente, como em sistemas inteiros.

Ambas fazem parte da evolução tecnológica inserida dentro da Transformação Digital. As empresas que desejam se manter à frente de seus concorrentes e continuarem no mercado entre as grandes, com certeza vão se adaptar e inovar.

IOT e 5G

O 5G, que já era bastante aguardado no Brasil, vai muito além do aumento de velocidade em comparação ao 4G. Com transmissão de dados 10 vezes mais rápida e latência 10 vezes menor, ela suporta de 10 a 100 vezes mais dispositivos conectados, o que vai permitir o suporte mais adequado à Internet das Coisas.

Por enquanto ainda não temos muitos aparelhos preparados para suportar o 5G, mas o advento do 5G, haverá um incremento de projetos de IOT, que demandarão um volume maior desses dispositivos em escala. E em breve proporcionará uma transformação profunda para todas as empresas, e sociedade em geral.

Gostou do conteúdo? Aproveite para se inscrever em nossa newsletter e ficar por dentro de outras novidades. 

Insights do nosso time

Obtenha insights do nosso time de especialistas sobre metodologias de desenvolvimento de software, linguagens, tecnologia e muito mais para apoiar o seu time na operação e estratégia de negócio.